Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Protagonista, Neymar diz que foi ameaçado por Chicão

'Ele me xingou e quando me falou que iria me bater, mandei vir', afirma o jovem jogador do Santos

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2010 | 19h50

Sem Robinho, Neymar foi o protagonista do Santos no clássico contra o Corinthians, na Vila Belmiro. No primeiro tempo, ele foi do céu ao inferno, não convertendo um pênalti, mas se recuperando em seguida ao fazer o primeiro gol da vitória por 2 a 1. Depois, o santista infernizou a defesa adversária. E ainda saiu de campo se queixando da atitude de Chicão, que teria ameaçado bater nele.

 

Veja também:

linkSantos passa pelo Corinthians e amplia liderança no Paulistão

forum BLOG BATE-PRONTO - Neymar: futebol moleque ou irresponsabilidade?

"Chicão me xingou e quando me falou que iria me bater, mandei vir", contou Neymar. Sobre o pênalti defendido por Felipe, ele não fugiu do seu erro. "Eu mudei na hora e quando o cobrador muda, sempre perde o pênalti", admitiu, explicando que a indecisão o levou a desperdiçar a oportunidade de abrir o marcador, no início do primeiro tempo. Quanto à demora para cobrar o pênalti, o garoto afirmou que é foi estratégia "É para irritar o goleiro".

Neymar não se abateu e aos 34 minutos marcou um golaço. A jogada foi iniciada por Arouca, no meio de campo. A bola passou Paulo Henrique até chegar a Neymar. Mesmo com Alessandro colocado às suas costas, Neymar recebeu, girou o corpo e bateu de primeira sem olhar para o gol, mandando a bola no canto direito de Felipe, que não teve a menor chance de defesa.

No segundo tempo, aos 15 minutos, Neymar invadiu a área pela direita e rolou para André, que entrava livre pelo meio. O camisa 9, com o gol à disposição, não perdeu a chance de ampliar a vantagem santista.

Neymar rebateu a acusação dos jogadores do Corinthians de que o Santos começou a fazer gracinha depois que o jogo estava decidido. "Nós apenas procuramos rodar a bola para cansar mais ainda o time deles. Apenas usamos o nosso recurso", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.