Protesto costarriquenho contra neve é rejeitado pela Fifa

O protesto da Costa Rica por ter sido obrigada a jogar sua partida eliminatória para a Copa do Mundo nos Estados Unidos em meio a uma nevasca na semana passada foi rejeitado pela Fifa por questões técnicas. Os EUA venceram o jogo de sexta-feira por 1 x 0 em Denver, mas a Costa Rica ficou furiosa com as condições, dizendo que as marcações do campo não eram visíveis, a bola não podia ser passada da maneira certa e os funcionários do estádio entraram no campo enquanto a bola ainda estava em jogo para limpar a neve.

Reuters

26 de março de 2013 | 15h03

"A Fifa examinou o conteúdo da carta e... confirmou que as condições estabelecidas no regulamento para um protesto oficial não foram cumpridas pela federação da Costa Rica", disse o órgão regulador do futebol em um comunicado. "Portanto, o resultado da partida jogada em 22 de março permanece e é considerado válido".

As regras da Copa do Mundo 2014 estabelecem que os protestos contra o campo e as marcações devem ser feitos por escrito ao árbitro antes do início do jogo pelo chefe da delegação. Se o jogo no campo se tornar impraticável durante a partida, o capitão do time deve fazer um protesto junto ao árbitro na presença do capitão do time adversário, e isso deve ser confirmado por escrito até duas horas depois do final da partida.

O técnico da Costa Rica, Jorge Luís Pinto, disse depois do jogo que a partida foi "um constrangimento para o futebol", e a federação de futebol do país disse mais tarde que as condições foram uma ameaça à "integridade física" dos jogadores.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.