Protesto deixa torcedores feridos e causa detenção de 65 na Rússia

MOSCOU - Cerca de 5 mil pessoas protestaram neste sábado contra a morte de um torcedor do Spartak Moscou no começo da semana, e 65 deles foram detidos por conta de confrontos com a Polícia da capital russa, enquanto dezenas delas ficaram feridas.

Efe

11 de dezembro de 2010 | 15h22

"Foram detidas 65 pessoas. Todas elas foram transferidas a dependências policiais", indicou à agência de notícias local RIA Novosti o porta-voz oficial do Departamento do Interior de Moscou, Viktor Biryukov, que acrescentou que entre os manifestantes havia desde torcedores de futebol até membros de organizações nacionalistas.

Fontes médicas afirmam haver entre 20 e 30 hospitalizados, tanto policias quanto manifestantes, enquanto o ministro do Interior, Rashid Nurgaliev, disse que esse número se reduz a 13.

Na praça Manezh, cujos acessos foram bloqueados por agentes antidistúrbios, os torcedores entoaram cânticos de cunho racista como "Rússia para os russos" e levavam fotos do torcedor morto, Yegor Sviridov, assassinado na madrugada de segunda-feira.

Em um primeiro momento, a Polícia conseguiu controlar a situação, mas em pouco tempo explodiram os choques entre uma centena de torcedores e agentes.

O chefe do Departamento do Interior de Moscou, Vladimir Kolokoltsev, compareceu ao local e disse aos torcedores que "a Polícia está fazendo de tudo para que os participantes dessa manifestação ilegal sejam levados à Justiça".

Antes dos confrontos, milhares de torcedores se reuniram próximos à estação de metrô de Vodni, no norte da cidade, para depositar flores no lugar no qual Sviridov foi assassinado.

Entre os manifestantes, não havia apenas torcedores do Spartak, mas também das outras equipes locais, principalmente do Dínamo e do CSKA, informou a agência oficial Itar-Tass.

Atualizado às 16h20 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRússiabrigapolíciatorcidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.