Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Protesto no Fluminense pede saída de Peter Siemsen da presidência

Questionamentos ocorrem após equipe perder qualquer chance de se classificar para a Libertadores; clube deve conter gastos em 2015

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2014 | 19h30

Na reapresentação do Fluminense nesta quarta-feira, após dois dias de folga, torcedores levaram uma faixa para as Laranjeiras pedindo a saída do presidente Peter Siemsen. Depois, seguranças do clube foram até o grupo e negociaram o fim do protesto.

As críticas estão relacionadas à ausência do Fluminense na próxima edição da Libertadores, aos atrasos no pagamento do salários de atletas e à perspectiva de um 2015 fraco no futebol, por causa da falta de recursos financeiros. A diretoria não se manifestou sobre o protesto.

Em campo, atletas participaram de um treino tático e o técnico Cristóvão Borges ressaltou a importância de o Fluminense derrotar o Cruzeiro, na última rodada do Brasileirão, domingo, no Mineirão. Ele disse que o time luta para terminar a competição em quinto lugar e, assim, assegurar vaga diretamente nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2015.

O zagueiro Marlon, expulso contra o Corinthians na última rodada, vai dar a vez a Elivelton, que atuará ao lado de Guilherme Mattis diante do Cruzeiro. Na lateral direita, Renato poderá estrear com a camisa do Fluminense no domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminensePeter Siemsen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.