Protesto pacífico reúne cerca de 5 mil pessoas no Rio

Os cerca de cinco mil manifestantes agora estão reunidos pacificamente na praça Afonso Pena, na Tijuca, zona norte do Rio. No centro da praça, líderes do protesto leem os pontos principais da manifestação, como o fim do processo de concessão do Maracanã à iniciativa privada, a reabertura do Parque Aquático Julio Delamare e a reconstrução da pista de atletismo do Estádio Célio de Barros, destruída na reforma do Maracanã para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014.

MARIANA DURÃO, MARCELO GOMES E TIAGO ROGERO, Agência Estado

30 de junho de 2013 | 14h44

Uma grande bandeira, que cobre pelo menos 10 janelas de dois andares, foi estendida no topo de um prédio que fica em frente à praça. Ela traz a mensagem: "Unfair players: Fifa, Police, Cabral e Paes", em referência ao governador e prefeito do Rio, brincando com a bandeira de "Fair play" da Fifa, eStendida em todos os campeonatos e eventos da entidade.

Integrantes da comissão de direitos humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Rio, acompanham a ação policial na manifestação. "Até agora, tudo tranquilo. Mas estamos atentos para evitar excessos por parte da polícia e garantir o direito dos cidadãos à manifestação pacífica", disse Luiz Peixoto, um dos integrantes da comissão.

A manifestação deste domingo tentou se aproximar do Maracanã, mas uma barreira policial impediu o acesso ao estádio onde acontecerá, a partir das 19 horas, a final da Copa das Confederações entre Brasil e Espanha. Assim, o protesto se deslocou pacificamente para a praça Afonso Pena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.