Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Provável titular na quinta, Jean Mota exalta concorrência de Dodô no Santos

Lateral pede à equipe para prestar atenção nos contra-ataque do Nacional-URU, próximo adversário

Estadão Conteúdo

14 Março 2018 | 13h38

Meia de origem, Jean Mota acabou assumindo a titularidade da lateral esquerda do Santos diante da escassez de opções confiáveis para o técnico Jair Ventura. A situação, porém, se alterou recentemente com a chegada e a estreia de Dodô, que disputou os últimos dois jogos do time no Campeonato Paulista, quando o treinador optou por poupar a maioria dos titulares. Assim, Jean Mota reconheceu que a concorrência aumentou, exaltou o novo companheiro, mas destacou que espera se manter na equipe.

+ Dirigente do Santos diz que Corinthians assume 'grande risco' se contratar Zeca

+ Com ida e volta do Corinthians na capital, federação define quartas do Paulistão

"Falei para o Jair que quando ele precisasse de mim na lateral, poderia contar comigo. Ele conversou comigo e pude ter uma sequência, fazendo bons jogos. Ele é quem vai decidir, estou aqui para ajudar. Estou fazendo bons jogos e o Dodô também fez. O elenco do Santos é muito bom e temos que brigar pelo espaço", disse.

Embora a escalação do Santos não tenha sido confirmada, a tendência é que Jean Mota seja mantido na lateral esquerda para o duelo desta quinta-feira com o uruguaio Nacional, no Pacaembu, pela segunda rodada do Grupo 6 da Libertadores.

Caso isso se confirme, o Santos vai entrar em campo com a seguinte escalação: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison; Eduardo Sasha, Léo Cittadini, Vecchio e Rodrygo; Gabriel Barbosa.

Ao comentar as características do adversário, Jean Mota exibiu preocupação com os contra-ataques do Nacional e também as suas jogadas aéreas. "Trabalhamos a semana inteira com variações para tentar surpreender. É um time que cruza bastante e tem velocidade. Vamos fechar os espaços para não ter os cruzamentos. Jogam no 4-4-2 e devem explorar os contra-ataques", comentou.

O Santos chega para o duelo com o Nacional em seu pior momento na temporada, em jejum de quatro jogos sem vitória, o que inclui a derrota na estreia na Libertadores para o Real Garcilaso, no Peru. E Jean Mota reconheceu a necessidade de o time triunfar nesta quinta.

"Sabemos da cobrança que existe em time grande. Não podemos ficar tanto tempo sem vencer, não importa se foi com o time misto. Todos do elenco têm qualidade. Estamos trabalhando para encaixar a vitória nesse jogo", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
futebol Santos Futebol Clube Jean Mota

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.