Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Proximidade da zona de rebaixamento pressiona Palmeiras a reagir

Começo ruim de Campeonato Brasileiro deixa atual campeão brasileiro em alerta para evitar crise

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2017 | 07h00

A má fase na temporada e os resultados desfavoráveis dos outros jogos na última rodada do Campeonato Brasileiro deixam o Palmeiras ainda mais pressionado para começar logo a reagir. Os quatro pontos em cinco rodadas, com aproveitamento de 26%, levam o atual campeão a aparecer em 16º lugar, apenas uma posição acima da zona de rebaixamento.

O risco de ficar na região do descenso vai aumentar caso o time não vença o Fluminense, sábado, no Allianz Parque. Três dos quatro times que estão atrás do Palmeiras jogam como mandantes e podem ultrapassar o atual campeão brasileiro se ganharem e a equipe do técnico Cuca perder pontos. A situação atual só não ficou pior pelo saldo de gols. Os 4 a 0 sobre o Vasco, na estreia, garantiram a vantagem no critério de desempate contra o Avaí ao fim da quinta rodada.

"É claro que não estamos satisfeitos onde estamos pelo time que temos. Mas o Palmeiras está nas oitavas da Libertadores e nas quartas da Copa do Brasil. É só o começo", explicou o atacante Róger Guedes. O clube investiu mais de R$ 80 milhões para reforçar o elenco com 12 contratações, mais ampliar a parcela de participação nos direitos econômicos de remanescentes de 2016.

O clube está há quatro partidas sem marcar no Brasileiro. O jejum de vitórias aumenta para cinco jogos se for considerado nessa sequência o último compromisso pela Copa do Brasil, com a derrota por 2 a 1 para o Inter, em Porto Alegre. A série negativa supera a pior fase enfrentada no ano passado, quando logo depois da estreia de Cuca, em março, o Palmeiras perdeu quatro jogos seguidos.

Para o jogo com o Fluminense, a torcida já comprou 23 mil ingressos. Após ter perdido para o Coritiba por 1 a 0, na última rodada, o técnico Cuca espera ter uma lista menor de desfalques. Foram seis baixas para o compromisso no Couto Pereira, das quais duas vão continuar sem condições de atuar. Mina e Borja seguem na Espanha com a seleção colombiana para a disputa de amistosos.

Os outros desfalques foram por problemas físicos, mas alguns desses jogadores podem reaparecer. O meia Guerra e o zagueiro Edu Dracena são os retornos mais prováveis. Além deles, o treinador espera poder escalar o lateral-direito Jean e o atacante Dudu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.