Reprodução
Reprodução

Torcida do PSG picha CT e Parque dos Príncipes exigindo a saída de dirigentes

Protesto pede a saída do brasileiro Leonardo do cargo de diretor de futebol e também do presidente Nasser Al-Khelaifi: caso ocorre poucos dias após eliminação do time na Liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

14 de março de 2022 | 11h07

O clima continua quente no Paris Saint-Germain após a eliminação nas oitavas de final da Liga dos Campeões diante do Real Madrid. Nesta segunda-feira, os muros do Parque dos Príncipes e do Centro de Treinamento do clube amanheceram com pichações ofensivas e cobrando a imediata saída do brasileiro Leonardo, diretor de futebol, e do presidente Nasser Al-Khelaifi.

Os Ultras franceses estão indignados com a falta de resultados importantes da equipe no continente e, após outra frustração na Liga dos Campeões novamente com alto investimento, resolveram demonstrar qual o sentimento entre eles: "10 anos de mediocridade", escreveram, revoltados. Nesta temporada, Messi foi contratado após 17 anos no Barcelona.

Depois da eliminação, a paciência com os diretores parece ter chegado ao fim. "Nasser, Leo, fora", e "fiquem longe de nossa terra", vinham no início das pichações, seguidas de muitas mensagens aos dois dirigentes estrangeiros. "Fiquem longe de nós, Paris nunca será o Catar", "sejam dignos" e "vocês nos deixariam orgulhosos (saindo)", deram tom aos protestos, sempre seguidos com muitos palavrões à dupla de cartolas.

Os torcedores usaram o "Paris somos nós", como forma de mostrar quem manda no clube e questionaram onde estava o "projeto" dos dirigentes para tornar o PSG uma potência. Apesar de muitas contratações e investimentos pesados, o clube há tempos não encanta e revolta seu torcedor.

No jogo de sábado, diante do Bordeuax, pelo Campeonato Francês, a torcida do PSG já demonstrou toda sua insatisfação com os dirigentes, com muitas faixas e cartazes de protesto durante a partida. Ainda vaiaram o brasileiro Neymar e o argentino Messi a cada toque na bola. Nem mesmo a vitória por 3 a 0 acalmou o clima no Parque dos Príncipes.

A diretoria arma uma reformulação grande no elenco e alguns jogadores já se preparam para deixar o PSG, casos de Wijnaldum, Sergio Ramos e até Di María. Apesar de vaiado, Neymar não parece disposto a sair e até usou uma foto nas redes sociais com o filho para mandar um recado sobre quem o move "a continuar." Por outro lado, Messi não teria se sentindo bem com as cobranças e também pode respirar novos ares em breve. Ele não conseguiu repetir em Paris suas boas atuações dos tempos de Barcelona.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.