Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PSG diz que Neymar precisa de tratamento por 4 semanas e descarta cirurgia

A avaliação do time francês confirma que o atacante não poderia ser aproveitado por Tite na Copa América

Redação, Estadao Conteudo

08 de junho de 2019 | 19h14

O Paris Saint-Germain comunicou neste sábado que Neymar precisará realizar tratamento por quatro semanas para se recuperar da entorse no ligamento lateral externo do tornozelo direito, sofrida na última quarta-feira, no primeiro tempo do amistoso em que a seleção brasileira derrotou o Catar por 2 a 0, em Brasília, na preparação da equipe para a Copa América. Porém, ele não precisará realizar cirurgia.

O clube explicou que Neymar foi avaliado neste sábado, no Brasil, por Laurent Aumont, médico do PSG, e Gérard Saillant, renomado cirurgião que no ano passado fez parte da junta que realizou a cirurgia no quinto metatarso do pé direito do atacante em março de 2018.

"No sábado, 8 de junho, o médico principal do Paris Saint-Germain, doutor Laurent Aumont, e o membro do conselho médico do clube e figura de destaque em medicina esportiva, professor Gérard Saillant, avaliaram a lesão sofrida por Neymar Jr. no jogo de preparação para a Copa América, na última quarta-feira", disse o PSG.

Na avaliação, os médicos confirmaram a lesão de Neymar, mas descartaram a necessidade de o atacante brasileiro ser operado. "Os dois médicos diagnosticaram uma entorse do ligamento lateral do tornozelo direito sem indicação cirúrgica, para ser tratado com tratamento conservador. Espera-se que o atacante do Paris Saint-Germain retorne ao campo dentro de quatro semanas", concluiu o clube no seu comunicado oficial.

A previsão de quatro semanas de afastamento apresentada pelo PSG confirma que Neymar não poderia ser aproveitado por Tite na Copa América - o técnico o cortou horas depois da lesão, na madrugada de quarta para quinta-feira. O torneio continental se iniciará em 14 de junho e tem a sua decisão agendada para 7 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.