PSG ganha outra do Bayer Leverkusen e confirma vaga

Brasileiro Marquinhos marca o primeiro gol do time francês na partida

Agência Estado

12 de março de 2014 | 18h44

PARIS - O Paris Saint-Germain cumpriu uma formalidade nesta quarta-feira para confirmar sua vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões da Europa. Depois de ter vencido o jogo de ida na Alemanha por 4 a 0, o time francês voltou a ganhar do Bayer Leverkusen, dessa vez por 2 a 1, no Estádio Parque dos Príncipes, e garantiu a classificação.

A enorme vantagem conquistada pelo PSG no jogo de ida, disputado há três semanas, tirou um pouco da emoção do confronto desta quarta-feira em Paris. O Bayer Leverkusen lutou bravamente, sonhando com uma improvável reviravolta, mas não foi capaz de evitar a classificação do time francês, que agora espera o sorteio para conhecer seu próximo rival.

Mesmo com a vaga praticamente garantida, o técnico Laurent Blanc não poupou os astros do milionário time francês nesta quarta-feira. Assim, escalou o sueco Ibrahimovic, o uruguaio Cavani e o argentino Lavezzi no ataque, além dos zagueiros brasileiros Thiago Silva e Marquinhos - Thiago Motta, Alex, Maxwell e Lucas ficaram no banco de reservas.

O Bayer Leverkusen até assustou no começo do jogo, ao abrir o placar aos seis minutos, com o gol de cabeça do meio-campista alemão Sidney Sam. Mas o PSG logo tomou controle das ações. Assim, foi buscar o empate aos 13, quando o zagueiro brasileiro Marquinhos aproveitou escanteio batido pelo volante francês Cabaye e também cabeceou para marcar.

O time de Leverkusen teve grande chance de ficar novamente na frente, mas o meio-campista alemão Simon Rolfes desperdiçou cobrança de pênalti aos 28 minutos. Já no segundo tempo, o PSG conseguiu o gol da vitória. Foi aos oito, quando Lavezzi aproveitou passe do lateral francês Digne para fazer 2 a 1. Depois disso, foi só esperar o árbitro apitar o fim da partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.