Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

PSG massacra Montpellier e abre vantagem de 15 pontos no Francês

Time parisiense não encontra dificuldades para fazer 5 a 1 sobre adversário, no Parque dos Príncipes

Redação, Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2019 | 19h30

O Paris Saint-Germain aproveitou a disputa de um jogo adiado para ampliar a sua vantagem na liderança do Campeonato Francês. Nesta quarta-feira, no Parque dos Príncipes, o time massacrou o Montpellier por 5 a 1, em partida que tinha sido postergada da 17ª rodada.

O triunfo levou o PSG aos 65 pontos, com 15 a mais do que o Lille, sendo o que o time ainda tem mais um compromisso adiado para realizar, contra o Dijon. Já o Montpellier parou nos 38 pontos, na sexta colocação no Francês.

A partida contou com a participação de três brasileiros, sendo Daniel Alves e Marquinhos pelo PSG, além de Hilton, do Montpellier. E o lateral-direito foi o primeiro a aparecer em campo, ao cruzar para Kurzawa abrir o placar, de cabeça, aos 13 minutos da etapa inicial.

O Montpellier igualou o placar com Mollet, aos 31, em cobrança de falta em que Buffon fez defesa parcial, com a tecnologia confirmando que a bola superou a linha do gol. Mas o PSG conseguiu ir ao intervalo em vantagem graças a Di María, em gol de falta aos 46 minutos, numa jogada em que atingiu o travessão antes de a bola entrar.

O segundo tempo foi um passeio do PSG, mas o time também contou com uma dose de sorte, pois dois dos seus três gols tiveram desvios em Hilton quando iam na direção do gol. Aos 28, Nkunku marcou de cabeça, após cobrança de escanteio. Aos 33, chute de Mbappé desviou em Hilton, com o árbitro determinando gol contra o brasileiro. O lance seguinte, aos 34, foi semelhante, mas dessa vez o gol foi mesmo de Mbappé, o artilheiro do Francês, com 20 gols.

Em outro jogo disputado nesta quarta-feira, o Bordeaux (13º colocado, com 32 pontos) não saiu do 0 a 0 com o Guingamp (20º, com 15).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.