REUTERS/Benoit Tessier
REUTERS/Benoit Tessier

PSG está disposto a vender Neymar por R$ 472 milhões e prepara demissões, diz imprensa europeia

Diretoria do clube parisiense avalia promover grandes mudanças no departamento de futebol para a próxima temporada

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2022 | 09h51

Ainda sem conseguir o tão sonhado título da Liga dos Campeões, o Paris Saint-Germain pode sofrer mudanças drásticas em seu elenco para a próxima temporada. De acordo com o canal inglês Sky Sports, a diretoria parisiense está montando uma barca com jogadores que não devem permanecer no clube e também teria determinado um valor de 90 milhões de euros (R$ 472 milhões) para vender Neymar.

Neymar tem vínculo com o PSG até 2025. O camisa 10 da seleção brasileira, contratado em 2017 por 222 milhões de euros — transferência mais cara da história do futebol — recentemente declarou que deseja permanecer na França até o final de seu contrato. No entanto, as frequentes ausências do atacante por causa de lesões estariam pesando para o clube negociar o astro de 30 anos. 

Segundo o L'Équipe, a diretoria do PSG também busca renovar o seu plantel e pretende se desfazer de jogadores como Di María, Paredes e Wijnaldum, que costumam ter algum espaço no time titular. Constantemente no banco de reservas, Draxler, Kurzawa e Kehrer são outros que não devem permanecer e o clube aguarda proposta pelos atletas. 

A própria comissão técnica tem futuro indefinido, com Mauricio Pochettino tendo sua demissão especulada desde janeiro. Zidane seria uma dos alvos para comandar a equipe. Ainda de acordo com a publicação, até mesmo o brasileiro Leonardo, diretor esportivo, tem chances de deixar o clube.  

O PSG ainda vive o dilema de perder o seu principal em junho, um mês antes da abertura da janela de transferências da Europa. Kylian Mbappé ainda não renovou o seu contrato e já comunicou à diretoria que deseja deixar o clube. O Real Madrid, principal interessado, seria o destino mais provável do jovem atacante francês.

Apesar do clima de mudanças, o Paris Saint-Germain vive a ressaca do título antecipado do Campeonato Francês, conquistado no sábado com o empate por 1 a 1 diante do Lens, no Parque dos Príncipes, na capital francesa. Messi marcou o gol que garantiu ao PSG o décimo troféu da competição, igualando o Saint-Etienne como os maiores vencedores da história do torneio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.