Etienne Laurent|EFE
Etienne Laurent|EFE

PSG terá apoio dos 'ultras' na tentativa de parar Barcelona

Após rompimento, clube francês volta a se aproximar dos torcedores radicais

O Estado de S. Paulo

14 Fevereiro 2017 | 07h00

O Paris Saint-Germain terá um "reforço" de peso nesta terça-feira, na tentativa de bater o Barcelona na abertura das oitavas de final da Liga dos Campeões: os "ultras", torcedores radicais e encrenqueiros do clube parisiense, liberados para assumir o setor do estádio Parc de Princes que costumam ocupar, mas de onde andaram afastados nos últimos anos depois de cenas de selvageria que chegaram a ter como consequência a morte de um torcedor.

O rompimento entre o clube e os "ultras" aconteceu em 2010, depois de uma briga em que um integrante da torcida francesa foi morto a tiros, disparados por um policial que tentava defender um torcedor do Hapoel Tel Aviv que estava sendo agredido após uma partida da Copa da Uefa. Desde então, o setor do estádio em que os radicais ficavam foi fechado a eles, que também deixaram de receber o aval do PSG para viajar e acompanhar jogos do time.

Mas, no ano passado, o novo presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, retomou contatos com os líderes dos "ultras" e, desde outubro, eles têm voltado gradativamente ao Parc des Princes, em jogos do Campeonato Francês em que a polícia concorda que compareçam.

Essa presença tem se tornado mais vez mais frequente e agora eles foram liberados para ajudar a empurrar o time – que normalmente tropeça no Barcelona quando o encontra na Liga dos Campeões – na noite desta terça (o jogo terá início às 17h45 de Brasília). A polícia considerou que o PSG adotou importantes métodos de controle no setor, o que garantirá a segurança.

Em campo, o PSG não terá o zagueiro Thiago Silva, vetado por causa de dores musculares, e o volante Thiago Motta, suspenso. O uruguaio Cavani, destaque nas últimas partidas, está garantido. O Barcelona terá o temido trio MSN – Messi, Suárez e Neymar – e Iniesta também é presença certa. Mas o técnico Luis Henrique não poderá contar com o argentino Mascherano, contundido.

}Na outra partida da fase de ida das oitavas de final marcada para esta terça, o Benfica recebe em Lisboa o Borussia Dortmund alemão, também às 17h45 de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.