Psicológico preocupa Guarani

Depois de receber seis reforços sem expressão para a disputa do torneio Rio-São Paulo o técnico do Guarani, Zé Mário, continua encontrando explicações para motivar seu elenco para a temporada 2002. Segundo ele, o mais importante não é " a parte técnica, mas o lado psicológico". O técnico garante que está conversando bastante com o grupo durante a pré-temporada em Monte Sião. "São jogadores jovens, que precisam de atenção e carinho", justifica o treinador. As suas maiores esperanças são os meias Souza e Dudu, além do atacante Beto, todos de 21 anos. Os outros reforços tem mais experiência. Um deles é o goleiro César, de 33 anos, vice-campeão brasileiro da Série B com o Figueirense. Outro é o lateral Roberto Silveira, ex-Ponte Preta, de 28 anos, além do zagueiro Aderaldo, de 24 anos, mas com bom retrospecto no futebol paranaense. A diretoria até pode contratar outros jogadores para suprir algumas perdas importantes como dos meias Fernando Fumagalli e Eduardo Marques, devolvidos ao Santos. Outro que deve deixar o clube é o centroavante Sinval, que acertou contrato com a Portuguesa. O problema é que ele tem contrato até setembro e sua multa rescisória é de R$ 2,5 milhões. O Guarani aceita liberá-lo desde que a Portuguesa perdoe uma dívida de R$ 500 mil referente ao empréstimo do atacante Cléber, ano passado. Desde sexta-feira, o time do Guarani treina em Monte Sião de propriedade do ex-zagueiro Oscar, do São Paulo e da seleção brasileira. O time retorna para Campinas no fim de semana.

Agencia Estado,

09 de janeiro de 2002 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.