Público do clássico pode decepcionar

O sonho do presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Eduardo José Farah, de levar 80 mil pessoas ao Morumbi, no segundo jogo entre Santos e Corinthians, domingo, está muito longe de se tornar realidade. Restam muitos ingressos de cadeiras inferiores e cativas. E as arquibancadas, esgotadas nas bilheterias, estão, em sua maior parte, nas mãos dos cambistas, que as vendem livremente.Um dos motivos para o "fracasso" das vendas foi o anúncio feito pela FPF, durante a semana, de que torcedores rivais ficariam juntos, em um mesmo setor do estádio - a arquibancada azul, inicialmente destinada para o Santos.A procura pelas entradas nesta sexta-feira, no Pacaembu, um dos pontos de venda, foi fraca. Poucas pessoas se dispuseram a ir ao estádio. O que se encontrava no local, além de seguranças servindo a FPF, após o roubo de quarta-feira, quando ladrões levaram R$ 60 mil e uma cota de 5 mil ingressos, era um grande número de cambistas."Organizados", os cambistas abordavam os poucos aventureiros bem antes da bilheteria e a forma da negociação era simples. Alegavam estar esgotadas as entradas nas bilheterias e ofereciam seu produto.A FPF tenta orientar os torcedores para não comprarem ingressos no "mercado negro", pois a maioria deles é falso. Este sábado é o último dia das vendas - das 9 às 17 horas, no Morumbi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.