Público é mantido após adeus do Corinthians ao Pacaembu

Público é mantido após adeus do Corinthians ao Pacaembu

Últimos jogos realizados por Palmeiras e Santos levaram 18.445 torcedores ante 18.180 do Corinthians em média

Rafael Fiuza, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 07h00

Atualizada às 12h28

Quem previa um Pacaembu abandonado com a ausência do Corinthians não contava com a boa média de público de Palmeiras e Santos nos últimos jogos. A equipe de Mano Menezes, que se despediu de 'sua casa' no dia 27 de abril contra o Flamengo, teve média de 18.180 torcedores, em oito jogos na temporada. Já os rivais paulistas conseguiram público pouco superior: 18.445 pessoas por jogo.

Apesar dos dados, a fase vivida pelas equipes no período eram bem diferentes. O Corinthians fez apenas uma partida no Campeonato Brasileiro, justamente na despedida. Além disso, a equipe não chegou nas finais do Campeonato Paulista. Já o Palmeiras sofre com a disputa para se afastar da zona de rebaixamento, após passar pela lanterna do torneio, e precisa da torcida, que tem apoiado o time. O Santos não manteve a média, mas conquistou bons públicos com o retorno de Robinho ao estádio paulistano.

Sem poder contar com a Allianz Parque, a equipe de Dorival Júnior fez seis dos últimos oito confrontos paulistas no estádio Paulo Machado de Carvalho. A única derrota foi para o Santos, na penúltima rodada do Brasileirão. O Palmeiras venceu Grêmio, Chapecoense, Vitória e Criciúma, e empatou com o Flamengo. Já o Santos derrotou Vitória e Goiás no período.


DESPEDIDAS

O jogo entre Palmeiras e Corinthians pode representar o último clássico entre as equipes no Pacaembu por um longo tempo. Além do dérbi, o Palmeiras não deve mais jogar no Pacaembu neste Nacional, já que a estreia do seu estádio está prevista para novembro no confronto com o Atlético-MG, dia 8 - a CBF ainda não confirma o local da partida.

SEGURANÇA

A grande expectativa em torno do clássico no Pacaembu neste sábado também é válida pela preocupação com a segurança. Apesar da emboscada realizada por um pequeno grupo de torcedores do Palmeiras na Via Anchieta contra santistas, domingo, que resultou na morte de um palmeirense, a Polícia Militar não pretende realizar mudanças para este jogo em relação ao seu trabalho. De acordo com Alexandre Vilariço, responsável pelo policiamento nos estádios da capital e capitão da Polícia Militar de São Paulo, não haverá mudança com contingente militar. "É o mesmo que a gente tem feito nos outros clássicos. Não tem muito o que mudar", disse Villariço.

Na manhã desta sexta-feira, em reunião com diretores das equipes e representantes das torcidas organizadas, o contingente da Polícia Militar será ampliado já que o clássico é considerado de alto risco. Serão 600 policiais designados para a tarefa, em vez dos 500 informados anteriormente pela Polícia Militar.

A torcida do Corinthians terá direito a apenas 10% da carga total de ingressos, mas as recomendações para os palmeirenses que vão ao jogo são para que não utilizem transportes públicos e acompanhem a escolta realizada pela Polícia Militar com trajeto iniciado na Barra Funda. "As orientações foram dadas pela PM e vamos seguir para evitar novos confrontos", afirmou Marcos Ferreira, presidente da torcida organizada Mancha Alviverde.


NÚMEROS

Últimos jogos do Corinthians

Média de público: 18.180

Renda bruta: R$ 607.630,00

Renda líquida: R$ 329.489,00

Últimos jogos de Santos e Palmeiras

Média de público: 18.445,37

Renda bruta: R$ 413.997,50

Renda líquida: R$ 121.808,415

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.