Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Público fraco em jogo facilita logística entre clássico e corrida

Pacaembu não recebe grande público para o Choque-Rei

Pedro Hallack, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2016 | 11h39

A realização de uma corrida de rua em frente ao Pacaembu, na manhã deste domingo, não causou maiores problemas para a organização do clássico entre São Paulo e Palmeiras, que começou às 11h no estádio. O público morno no estádio e a antecipação do horário de término do evento facilitaram a chegada dos torcedores antes da bola rolar. 

Marcado há cerca de três meses e com 12 mil pessoas inscritas, o Circuito das Estações (nome da prova) tinha finalização prevista para momentos antes do jogo, mas teve o horário remanejado após reuniões com as autoridades responsáveis pela organização da partida. O duelo pelo Campeonato Paulista, inicialmente previsto para começar às 16h, foi remarcado à pedido da Polícia Militar em virtude dos protestos contra o governo Dilma Rousseff, que ocorrerão na região da Avenida Paulista. Bloqueada nos dois sentidos durante a prova, a Avenida Pacaembu foi liberada para o trânsito de carros a partir das 9h.

Mesmo com a orientação de se dispersarem logo após o término da corrida, os participantes ainda eram maioria na praça Charles Miller, em frente ao campo, pouco depois do fim do evento. Com o gramado do Morumbi em processo de troca desde o início do ano, o São Paulo tem amargado públicos fracos no estádio, que também refletem o começo irregular de temporada do clube.

Apesar da maioria dos são-paulinos não ter enfrentado grandes dificuldades para chegar ao Pacaembu, alguns torcedores sofreram com os bloqueios feitos em algumas vias que dão acesso ao local. Esse foi o caso de Mateus Suriano, de 19 anos, que afirmou ter levado duas horas para chegar na praça Charles Miller. "Geralmente eu levo 20 minutos vindo de ônibus, mas dessa vez o transporte mudou o trajeto, me obrigando a andar grande do percurso", disse. "Achei desorganizado marcarem dois eventos ao mesmo tempo, essa quantidade de pessoas na corrida atrapalha a chegada da torcida", completou.

No lado dos que participaram da corrida, não houve muitas queixas em relação ao remanejamento dos horários do evento. Apesar disso, Rosalvo Macedo, de 66 anos, que participou do percurso de 5 km, sentiu incômodo pelo forte aparato de segurança existente em virtude do clássico. "A presença de muitos policiais no local deixa quem participa da corrida apreensivo, esperando que possa ter alguma confusão após o encontro com os torcedores."

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCPalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.