Stefano Rellandini / Reuters
Stefano Rellandini / Reuters

Punida, Inter de Milão pede para liberar crianças em jogo do Italiano

Torcedores da equipe estão impedidos de entrarem no Giuseppe Meazza por causa de atos racistas e brigas

Redação, Estadão Conteúdo

09 de janeiro de 2019 | 11h13

A diretoria da Inter de Milão pediu nesta quarta-feira à Federação Italiana de Futebol e à liga que organiza o Campeonato Italiano para liberar crianças nas arquibancadas no jogo contra o Sassuolo, no dia 19, em rodada do Nacional. A equipe sofreu punição no fim do ano, por causa de atos racistas e de violência por parte de sua torcida.

Em seu pedido, a Inter afirmou que a liberação somente das crianças no estádio San Siro "é uma importante iniciativa que envia uma poderosa e clara mensagem contra todas as formas de discriminação e violência". A federação e a liga ainda não se manifestaram sobre o pedido.

O time de Milão foi punido no fim do ano em razão de cânticos racistas contra o zagueiro senegalês Kalidou Koulibaly durante a partida contra o Napoli, no dia 26 de dezembro, também pelo Italiano. Além disso, antes da partida, confronto entre torcedores dos dois clubes deixou um morto, na cidade de Milão.

Como punição, a Inter terá que jogar com os portões fechados seus dois próximos jogos como mandante. Além do duelo contra o Sassuolo, também jogará sem torcida contra o Benevento, pela Copa da Itália. O setor do San Siro ocupado pela torcida organizada da Inter também ficará fechado por um terceiro jogo, no campeonato nacional, contra o Bologna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.