Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Punido pela Fifa, Santos afirma que pagará pendências com Hamburgo e Huachipato

Clube divulga nota oficial e promete resolver o problema nas contratações de Soteldo e Cleber Reis

Redação, Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2020 | 10h37

O Santos foi novamente punido pela Fifa e está proibido de registrar novos jogadores nas próximas três janelas de transferências por causa de uma dívida de US$ 3,4 milhões (R$ 18 milhões na cotação atual) com o Huachipato, do Chile, pela contratação do atacante venezuelano Soteldo. Essa é a segunda pena que o clube alvinegro recebe. A primeira, ainda válida, é por causa da aquisição do zagueiro Cleber Reis, do Hamburgo, que tem que receber, com juros e multa, algo em torno de R$ 30 milhões.

Nesta quinta-feira, a diretoria do Santos emitiu um comunicado em suas redes sociais e no site oficial para explicar que vai acertar tudo o que deve para que as proibições sejam anuladas.

"O Santos Futebol Clube esclarece que a punição imposta pela Fifa, referente a negociações com Hamburgo (ALE) e Huachipato (CHI), será retirada imediatamente após a realização dos pagamentos aos respectivos Clubes. A suspensão de três janelas, portanto, impede o Peixe de atuar no mercado somente enquanto existirem estas respectivas pendências", afirmou a nota.

"A pendência junto ao Hamburgo dura desde o ano de 2017, e é referente a aquisição do jogador Cleber Reis. Esta pendência está sendo tratada desde 2018, devido a pesadas multas e juros. O Santos FC ressalta que trabalha para o devido pagamento e espera solução definitiva", prosseguiu o clube. "A pendência junto ao Huachipato, por sua vez, existe desde 2019 e estava em tratativas avançadas de acordo com o executante. O Santos Futebol Clube foi surpreendido com a execução no Tribunal da FIFA. O Clube lamenta e registra que trabalha arduamente em busca das devidas soluções".

A relação entre Santos e Huachipato não é das melhores desde a tentativa do Atlético-MG de contratar Soteldo. No início deste ano, o clube mineiro, a pedido do técnico argentino Jorge Sampaoli, fez uma proposta de R$ 51 milhões para comprar o atacante e os chilenos insistiram na venda alegando que o time paulista teria de comprar os outros 50% caso não aceitasse a oferta.

O Santos, porém, se negou a aceitar o pedido do Huachipato, recusou a proposta do Atlético-MG e ainda renovou com Soteldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.