Punidos, Lazio e Fenerbahçe terão de jogar com portões fechados

Times sofreram punição da Uefa pelo mau comportamento de suas torcidas

AE-AP, Agência Estado

27 de fevereiro de 2013 | 17h44

NYON - Enquanto a Conmebol mostrou rigor com o Corinthians ao decretar que o time paulista disputasse a Libertadores sem o apoio de sua torcida, na Europa esta punição já é bem mais comum. Somente nesta quarta-feira, a Uefa anunciou perdas de mando de campo a dois clubes que disputam a Liga Europa: Lazio e Fenerbahçe.

A Lazio foi punida por conta do comportamento de sua torcida na vitória por 2 a 0 diante do Borussia Mönchengladbach, quinta-feira passada. De acordo com a Uefa, alguns torcedores foram vistos fazendo gestos racistas aos adversários, além de lançarem fogos de artifícios no campo.

Por isso, o clube italiano perdeu dois mandos de campo e terá que enfrentar o Stuttgart no dia 14 de março, pela volta das oitavas de final da Liga Europa, sem torcida. O time ainda terá que atuar com os portões fechados em uma possível ida às quartas de final.

Já o Fenerbahçe foi punido com a perda de apenas um mando de campo. A Uefa tomou a decisão por conta do comportamento da torcida turca no confronto diante do BATE Borisov, no último dia 21. Na ocasião, alguns torcedores lançaram sinalizadores de fora para dentro do estádio.

Assim, o clube turco não poderá ter o apoio de sua fanática torcida diante do Viktoria Plzen, no dia 14 de março. Além disso, será observado pela Uefa por dois anos e, em caso de novo problema com sua torcida, poderá ser excluído das competições europeias por uma temporada.

Na América do Sul, o Corinthians foi punido pela Conmebol por conta do incidente no jogo contra o San José, na quarta-feira passada, em Oruro, pela Libertadores. Logo no início da partida, um sinalizador partiu da torcida corintiana e acertou o jovem boliviano Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, que não resistiu e morreu na hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.