Alexey Nikolsky / Sputnik / Kremlin / EFE
Alexey Nikolsky / Sputnik / Kremlin / EFE

Putin pede Rússia 'voluntariosa' e Infantino elogia organização do país para Copa

Presidente da FIFA diz que ainda faltam alguns trabalhos, mas que país está pronto para receber torneio

Estadão Conteúdo

03 de maio de 2018 | 13h42

O presidente Vladimir Putin afirmou nesta quinta-feira que espera ver um futebol "voluntarioso" e "sem concessões" por parte da seleção da Rússia na Copa do Mundo de 2018, que começará no dia 14 de junho com o time anfitrião da competição enfrentando a Arábia Saudita, em Moscou.

+ Com meta surreal, técnico da seleção russa não tem currículo de respeito

+ Putin convida Temer para abertura da Copa do Mundo

O líder russo falou sobre a seleção do seu país durante um encontro com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, ocorrido em uma inspeção da entidade ao estádio Fisht, em Sochi, que no dia 15 de junho abrigará o confronto entre Espanha e Portugal pela primeira rodada do Grupo B do Mundial.

A seleção russa não venceu nenhum dos seus últimos cinco amistosos de preparação para a Copa, sendo que em um deles foi derrotada por 3 a 0 pelo Brasil, em março, em Moscou. Desta forma, mesmo atuando com o apoio dos seus torcedores, entrará neste Mundial tentando surpreender os seus adversários. Após encarar a Arábia Saudita, terá pela frente o Egito no dia 19 de junho, em São Petersburgo, e fechará a sua campanha na primeira fase contra o Uruguai, no dia 25, em Samara.

Durante o encontro com Infantino e operários russos que trabalham nas obras do estádio de Sochi, Putin ressaltou: "Esperamos que nossos jogadores deem tudo, joguem com toda força de vontade, e mostrem um futebol voluntarioso e sem concessões, como amam e apreciam os torcedores".

A seleção da Rússia não consegue superar a fase de grupos de um torneio importante desde quando avançou às semifinais da Eurocopa de 2008. Assim, tentará usar com inteligência o fator campo para surpreender no Mundial, cujo estádio de Sochi será palco de quatro partidas do estágio inicial da competição e depois abrigará um duelo das oitavas de final e um outro das quartas de final.

Na visita desta quinta-feira, Putin e Infantino foram até o gramado do local e também supervisionaram os vestiários do estádio, que anteriormente abrigou as cerimônias de abertura e de fechamento dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. No palco com capacidade para receber 45 mil torcedores, o presidente russo afirmou o que o seu país já "praticamente terminou" os preparativos para a Copa.

O mandatário maior da Fifa, por sua vez, reconheceu que "ainda há alguns trabalhos a serem feitos" pelos anfitriões do Mundial e enfatizou saber "como são importantes as últimas semanas para afinar os pequenos elementos que ainda estão faltando". Porém, ressaltou que a Rússia está "totalmente preparada" para abrigar a grande competição e "está se preparando para fazer deste Mundial o melhor Mundial da história".

"Os comentários de nossos especialistas da Fifa são extremamente positivos", assegurou Infantino, reforçando também que a Rússia está mostrando um "nível único de comprometimento, esforço e profissionalismo" para receber com sucesso a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.