Alexey Nikolsky / Sputnik / Kremlin / EFE
Alexey Nikolsky / Sputnik / Kremlin / EFE

Putin pede Rússia 'voluntariosa' e Infantino elogia organização do país para Copa

Presidente da FIFA diz que ainda faltam alguns trabalhos, mas que país está pronto para receber torneio

Estadão Conteúdo

03 Maio 2018 | 13h42

O presidente Vladimir Putin afirmou nesta quinta-feira que espera ver um futebol "voluntarioso" e "sem concessões" por parte da seleção da Rússia na Copa do Mundo de 2018, que começará no dia 14 de junho com o time anfitrião da competição enfrentando a Arábia Saudita, em Moscou.

+ Com meta surreal, técnico da seleção russa não tem currículo de respeito

+ Putin convida Temer para abertura da Copa do Mundo

O líder russo falou sobre a seleção do seu país durante um encontro com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, ocorrido em uma inspeção da entidade ao estádio Fisht, em Sochi, que no dia 15 de junho abrigará o confronto entre Espanha e Portugal pela primeira rodada do Grupo B do Mundial.

A seleção russa não venceu nenhum dos seus últimos cinco amistosos de preparação para a Copa, sendo que em um deles foi derrotada por 3 a 0 pelo Brasil, em março, em Moscou. Desta forma, mesmo atuando com o apoio dos seus torcedores, entrará neste Mundial tentando surpreender os seus adversários. Após encarar a Arábia Saudita, terá pela frente o Egito no dia 19 de junho, em São Petersburgo, e fechará a sua campanha na primeira fase contra o Uruguai, no dia 25, em Samara.

Durante o encontro com Infantino e operários russos que trabalham nas obras do estádio de Sochi, Putin ressaltou: "Esperamos que nossos jogadores deem tudo, joguem com toda força de vontade, e mostrem um futebol voluntarioso e sem concessões, como amam e apreciam os torcedores".

A seleção da Rússia não consegue superar a fase de grupos de um torneio importante desde quando avançou às semifinais da Eurocopa de 2008. Assim, tentará usar com inteligência o fator campo para surpreender no Mundial, cujo estádio de Sochi será palco de quatro partidas do estágio inicial da competição e depois abrigará um duelo das oitavas de final e um outro das quartas de final.

Na visita desta quinta-feira, Putin e Infantino foram até o gramado do local e também supervisionaram os vestiários do estádio, que anteriormente abrigou as cerimônias de abertura e de fechamento dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. No palco com capacidade para receber 45 mil torcedores, o presidente russo afirmou o que o seu país já "praticamente terminou" os preparativos para a Copa.

O mandatário maior da Fifa, por sua vez, reconheceu que "ainda há alguns trabalhos a serem feitos" pelos anfitriões do Mundial e enfatizou saber "como são importantes as últimas semanas para afinar os pequenos elementos que ainda estão faltando". Porém, ressaltou que a Rússia está "totalmente preparada" para abrigar a grande competição e "está se preparando para fazer deste Mundial o melhor Mundial da história".

"Os comentários de nossos especialistas da Fifa são extremamente positivos", assegurou Infantino, reforçando também que a Rússia está mostrando um "nível único de comprometimento, esforço e profissionalismo" para receber com sucesso a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.