Quadro de Ricardo Gomes permanece grave e estável

Depois da cirurgia, realizada com sucesso no domingo à noite, para drenagem da hemorragia causada pelo Acidente Vascular Encefálico (AVE), o estado de saúde do técnico Ricardo Gomes continua grave, mas estável. Exames neurológicos aos quais ele foi submetido indicaram que suas funções orgânicas estão dentro do esperado pelos médicos.

BRUNO LOUSADA, Agência Estado

29 de agosto de 2011 | 20h31

O treinador do Vasco, no entanto, permanece sedado e respirando com a ajuda de aparelhos, segundo boletim médico divulgado na tarde desta segunda-feira pelo Hospital Pasteur, no bairro do Méier, no Rio, onde ele está internado desde domingo, quando passou mal durante o segundo tempo do clássico contra o Flamengo, no Engenhão.

De acordo com os médicos do hospital, o quadro pós-cirúrgico do treinador de 46 anos está evoluindo bem, sem apresentar intercorrências. "Não é esperado nestas primeiras 72 horas uma grande melhora. Não ter piorado já é uma grande vitória", afirmou Fernando Gjorup, diretor médico do Hospital Pasteur.

"Mesmo que ele tenha sequelas, dá para reverter isso", disse o médico do Vasco, Clóvis Munhoz, revelando que o risco de morte ainda existe, embora a chance de Ricardo Gomes sobreviver "tenha aumentado" por causa da rapidez no seu atendimento, da infraestrutura do hospital e da capacidade da equipe médica que o assiste.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoRicardo Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.