Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Qual duelo é mais duro nessas quartas de final do Paulistão?

Estadual chega em sua etapa de mata-mata sem ter um time favorito para ganhar a disputa. Veja os confrontos

Robson Morelli, O Estado de S. Paulo

27 de julho de 2020 | 05h00

Antes de responder ao torcedor sobre o confronto mais difícil da fase de quartas de final do Paulistão, vale a pena ressaltar as duas vitórias conquistadas pelo Corinthians nesta retomada do Estadual. O time fez o que se esperava dele, independentemente do fracasso do Guarani, que teve duas oportunidades de fazer os resultados e não conseguiu. Também vale registrar o erro do bandeirinha num gol do time de Campinas contra o São Paulo quando a partida ainda estava 2 a 1, portanto, seria gol de empate. Depois disso, a música tocou mais alta em outros estádios, mas há de se apontar o erro da arbitragem.

Dito isso, para você, qual é o duelo mais duro das quartas do Paulistão?

Santos x Ponte Preta

A Ponte não só se salvou do rebaixamento nessas duas últimas rodadas como sua pontuação a levou para a disputa com o Santos. Chega com moral e bastante confiança. Recupera prestígio. Ganhou as duas partidas. Vai enfrentar um rival melhor, mas não muito melhor. A derrota para o Novorizontino de virada por 3 a 2 expõe uma fratura nesse time de Jesualdo Ferreira, quase uma incógnita para a próxima fase. Tem problemas fora de campo e terá de costurar suas dívidas. Num palpite simples, trata-se de confronto aberto.

Lembrando ao amigos que a primeira partida do mata-mata é jogo único.

Palmeiras x Santo André

Aqui é fácil apostar, apesar da instabilidade do time de Vanderlei Luxemburgo, que não jogou bem nas duas apresentações da retomada. Perdeu para o Corinthians sem efetividade. E passou susto contra o Água Santa. Continua favorito diante de um Santo André reformulado após a pandemia. Talvez tenha sido o time que mais sofreu com a covid-19. Empatou com o Santos e apanhou do Ituano. Antes da parada, poderia ter somado seis pontos nesses jogos. Paga pela paralisação e falta de estrutura para segurar seus atletas por mais quatro meses. Uma pena. Poderia ser o jogo mais equilibrado das quartas. Não é.

Quem recebeu o terceiro cartão amarelo na rodada de ontem, dos times classificados, terá de cumprir suspensão. Para os outros, os cartões zeram.

São Paulo x Mirassol

O time do Morumbi é mandante porque teve a melhor campanha no seu grupo. Mesmo se jogasse fora, era favorito. Gosto deste São Paulo apesar da instabilidade de sua defesa. Bateu bastante cabeça nas duas rodadas. É o setor mais frágil do time de Fernando Diniz, mesmo a despeito de tudo o que ele fale para defender seus jogadores. Do meio para frente, o time é mais seguro e de muita qualidade. Diniz precisa ter coragem para escalar os meninos que jogaram muito bem diante do Guarani. Mesclar pode ser uma saída. Mas terá de se render à juventude de atacantes e homens de meio-campo em detrimento dos mais experientes e consagrados. Torcedor não é bobo, Diniz! É favorito contra o Mirassol e tem de assumir essa condição no duelo. Ganhar o Paulistão vai evitar pegação no pé de sua própria torcida por ter “ajudado” o Corinthians a se classificar. Conheço são-paulinos que pediam ao time para entregar os pontos para o Guarani, o que não aconteceu dado o profissionalismo de todos.

A vantagem de quem ficou em primeiro lugar no seu grupo é ser mandante. Se empatar nos 90 minutos, a decisão será nos pênaltis.

Bragantino x Corinthians

Aqui está a resposta da pergunta de qual duelo será mais duro. Jogo franco e sem favorito, apesar da ótima fase do Bragantino. É um time bem treinado e que sabe o que fazer com a bola. Vai ter torcedor dizendo que é melhor do que o Corinthians nesse momento. Concordo. Mas tem de se levar e conta a tradição do rival, a força de sua camisa e o ânimo com a classificação, quase um milagre. O Bragantino tem conjunto. O Corinthians, peças interessantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.