Paulo Novais/EPA/EFE
Paulo Novais/EPA/EFE

Quaresma admite 'sorte' em gol e projeta jogo duro contra Uruguai

Meia-atacante português marcou um belo gol de trivela e abriu o placar no jogo contra o Irã, em Saransk

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 20h07

O meia-atacante Ricardo Quaresma foi um dos personagens do empate em 1 a 1 entre Portugal e Irã, que classificou o primeiro e eliminou o segundo da Copa do Mundo da Rússia, nesta segunda-feira. Ele marcou um belo gol, de trivela, e abriu o placar do jogo disputado em Saransk. Ao fim da partida, o jogador admitiu ter contado com a "sorte" para balançar as redes.

+ Técnico de Portugal minimiza sufoco no fim e exalta vaga nas oitavas

+ Treinador do Irã critica VAR e diz que Cristiano Ronaldo deveria ter sido expulso

+ Cristiano Ronaldo perde pênalti, Portugal empata e encara Uruguai nas oitavas

"Eu tive um pouco de sorte no gol. Mas o mais importante é que alcançamos o nosso objetivo e agora estamos ansiosos para a próxima fase", declarou o jogador, que foi titular pela primeira vez neste Mundial. Seu gol saiu aos 44 minutos do primeiro tempo, quando acertou forte chute de trivela, no ângulo direito do goleiro iraniano.

"Acho que fomos muito bem no jogo. Atingimos a nossa meta e agora temos que nos recuperar nos próximos dias e já pensando no jogo seguinte. Mas temos que manter a nossa mentalidade vencedora e esperar pelo próximo jogo", projetou Quaresma.

O meio-campista já prevê uma partida complicada contra o Uruguai no sábado, às 15 horas (horário de Brasília), no Fisht Stadium, em Sochi. "Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar contra o Uruguai. Eles têm um grande time, com grandes jogadores. Mas no momento o mais importante para nós é nos recuperarmos para estarmos prontos para este jogo."

 

Apagado em campo nesta segunda, o atacante Cristiano Ronaldo não concedeu entrevistas na zona mista do estádio, ao fim da partida. Ele desperdiçou um pênalti no jogo. Agora, ele soma seis penalidades perdidas nas últimas 14 cobranças.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.