Quarto árbitro diz que viu na hora a agressão de Zidane

O espanhol Luis Medina Cantalejo, que atuou como quarto árbitro na final da Copa do Mundo, afirmou que viu a cabeçada que o francês Zidane deu no italiano Materazzi, no segundo tempo da prorrogação da partida. "Vi o que aconteceu na hora, não inventei nada", afirmou em entrevista à rádio Cadena Ser, de seu país.Cantaelejo negou que tenha comunicado o árbitro argentino Horácio Elizondo apenas depois de ver a agressão por um monitor de TV, como acusou o técnico da França, Raymond Domenech - o procedimento não seria aceito pela Fifa. "Respeito a opinião dele, mas não foi o que aconteceu. Isso mostra a importância de existir o quarto árbitro. Minha função era de ajudar o juiz, e foi o que fiz", disse.Segundo ele, acompanhar lances fora da jogada é o que recomenda a quem está de fora quando é o árbitro principal. "Muita coisa pode acontecer quando os jogadores retornam de uma jogada de ataque, como nesse caso", explicou. Cantalejo disse ainda que não ouviu o que Materazzi disse para provocar a fúria de Zidane. Elizondo expulsou o camisa 10 da França e a Itália conquistou o tetracampeonato mundial ao vencer nos pênalti por 5 a 3, após empate por 1 a 1.O espanhol, que apitou também a vitória da França sobre o Brasil por 1 a 0, nas quartas-de-final, em que Zidane teve brilhante atuação, lamentou ver um craque como ele se aposentar do futebol dessa maneira tão triste. "É melhor lembrar de um jogador que nunca reclamou de decisões e era um verdadeiro gentleman. É triste vê-lo sair desta forma, mas foi um erro que devia ser punido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.