Divulgação/São Paulo FC
Divulgação/São Paulo FC

Quatro pontos para o São Paulo trabalhar até a Libertadores

Muricy Ramalho tem pendências para resolver até que o Tricolor entre em campo no dia 18

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2015 | 07h00

Faltam apenas dois jogos para a estreia do São Paulo na Libertadores, mas o time ainda passa por algumas experiências às portas da estreia - provavelmente contra o Corinthians, que encaminhou sua vaga ao golear o Once Caldas na primeira fase da competição.

O Estado listou quatro pilares que devem tomar maior atenção do técnico Muricy Ramalho nos últimos dias antes de iniciar sua caminhada no principal torneio do clube em 2015

1) Definir uma forma de jogar

Muricy Ramalho tem alternado algumas formações e ainda não parece convencido com nenhuma. O treinador já testou jogadores de velocidade nos lados do campo, pôs o time com dois centroavantes e também apenas com uma referência. O treinador diz que a forma do time jogar é a mesma do ano passado, mas ainda não conseguiu encontrar um padrão de jogo que dê estabilidade à equipe.

2) Acertar o buraco nas laterais

Bruno e Carlinhos se mostraram duas avenidas nos primeiros jogos da temporada. A lesão do lateral-esquerdo permitiu a entrada de Reinaldo, que tem uma marcação melhor que a do titular e permite a Bruno avançar com um pouco menos de preocupação defensiva. Será que Muricy manterá a dupla ou insistirá com o ex-atleta do Fluminense.

3) Buscar soluções contra adversários que marcam pressão

Acostumado a propor o jogo graças à técnica do seu elenco, o São Paulo desde o ano passado mostra que ainda se perde quando é pressionado pelos adversários - fato que deve acontecer especialmente na Libertadores. No jogo contra o XV de Piracicaba no último sábado, a equipe sofreu para se livrar da marcação pressão imposta e só venceu o jogo por causa de lances individuais.

4) Escolher o parceiro de Luis Fabiano

Pato, Alan Kardec, Centurión ou nenhuma das alternativas? Por enquanto o técnico faz experiências e espera a regularização do argentino para poder colocá-lo ao lado do camisa 9, por ora único garantido na equipe. Kardec terminou o ano passado jogando e Pato brilhou ao marcar três vezes contra o Capivariano, mas ainda não convenceu. Centurión também terá sua chance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.