AFP
AFP

Se a Argentina for vice, 'que os jogadores não voltem', diz Maradona

Em entrevista nesta quarta, ex-jogador afirma que 'AFA está quebrada' pela corrupção: 'Roubaram até o leito do gato'

O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2016 | 10h52

No aniversário de 30 anos do gol com a "mão de Deus" contra a Inglaterra, pelas quartas de final da Copa do Mundo de 1986, o canal argentino C5N convidou Diego Maradona a um programa especial, nesta quarta-feira. Durante a entrevista, o fantasma do jejum de 23 anos sem títulos da albiceleste retornou. 

Perguntado sobre as chances da seleção de Tata Martino levantar a taça da Copa América, o "Pibe" foi incisivo: "Claro que vamos ganhar domingo. E se não ganharmos, que os jogadores nem voltem (ao país)". A conversa foi feita um dia depois da goleada da Argentina por 4 a 0 sobre os Estados Unidos pelas semifinais da Copa América Centenário; horas antes da outra semifinal, vencida pelo Chile por 2 a 0 diante da Colômbia. 

O último título da seleção principal argentina foi a Copa América de 1993, no Equador, que confirmou o bicampeonato continental, completando a taça de 1991, no Chile. Desde então, a albiceleste disputou 15 torneios oficiais, com sete Copas América (1995/97/99, 2004/07/11/15), seis Copas do Mundo (1994/98/02/06/10/14) e duas Copas das Confederações (1995 e 2005). Dessas competições, foi vice-campeã em seis delas, sendo derrotada pelo Brasil em três oportunidades (Copas América de 2004 e 2007 e Copa das Confederações de 2005). No mesmo período, no entanto, conquistou três das quatro medalhas olímpicas de sua história, com os ouros em Pequim-2008 e Londres-2012 e a prata em Atlanta-1996. 

AFA QUEBRADA

Na mesma entrevista, Maradona afirma que, devido à corrupção, "o futebol argentino está em uma crise profunda. A Associação de Futebol Argentino (AFA) está quebrada. Roubaram até o leite do gato". 

"Tem que saber onde está o dinheiro roubado. Falei de tudo isso com (o presidente da Fifa, Gianni) Infantino. Ele não quis me mandar como representante porque enviou três de seus colaboradores, mas me tem como homem de confiança na AFA. Vamos ver direito uma intervenção da Fifa", respondeu Diego ao canal argentino. 

Maradona ainda acrescentou que "há dirigentes que querem fazer coisas, outros nem tanto. Lamentavelmente isso vai acabar em uma interferência da Fifa". "Na AFA, todos querem agarrar e roubar. Temos uma associação quebrada e com clubes mais quebrados ainda", concluiu. 

O capitão do bicampeonato mundial em 1986, no México, ainda disse que conversará com os dirigentes da entidade local e com Infantino sobre as propostas da criação de uma liga no país, feita pelos clubes grandes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.