"Que venha o Brasil", desafiam rivais

O Brasil terá pela frente um time entusiasmado. A seleção de Honduras terminou a fase de classificação da Copa América em segundo lugar no Grupo C, à frente do Uruguai, e virou atração na Colômbia. Convidada para o lugar do Canadá, que desistiu de participar do torneio, a equipe dirigida por Ramón Maradiaga desembarcou em Medellín na véspera da estréia contra sua maior rival na Concacaf, a Costa Rica. O time viajou às pressas, no avião presidencial enviado pelo governo da Colômbia. Perdeu por 1 a 0, mas não se abalou. Na seqüência, venceu a Bolívia, por 2 a 0, e o Uruguai, por 1 a 0. Agora, já sonha desclassificar a seleção brasileira e passar às semifinais. "Ninguém dava nada por nós e estamos escrevendo uma nova história. Que venha o Brasil", afirma o meio-campista Amado El Lobo Guevara, principal jogador do time e autor do gol contra o Uruguai, na noite de quinta-feira. Com propostas de trabalho de equipes colombianas, ele confessa estar ansioso para que a segunda-feira chegue logo. "Jogar contra os melhores do mundo é algo especial, não acontece todo dia. Vamos enfrentá-los sem complexos, com muita alegria. Seja o que Deus quiser."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.