Queda de braço pode atrasar aprovação da lei da dívida dos clubes

Adiamento da votação desencadeou luta por alterações no texto: Governo, parlamentares e Bom Senso brigam por modificações

O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2014 | 05h00

O adiamento da votação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte desencadeou uma luta por alterações no texto que pode mudar substancialmente o projeto, além de retardar mais do que o esperado nova apreciação pela Câmara dos Deputados. Governo, parlamentares e o Bom Senso F.C. querem modificações, e a queda de braço pode ser prolongada - mesmo com a disposição do governo de apresentar novo texto, em que serão considerados os pedidos de alterações, semana que vem.

Um impasse relacionado ao tempo de refinanciamento das dívidas dos clubes já parece resolvido. O governo não concordava com os 25 anos propostos por considerar um período muito longo, queria no máximo 18, mas o prazo deverá ser de 20 anos. Além disso, os juros obedecerão a taxa Selic (hoje em 11% ao ano), praticamente o dobro do que o índice proposto no projeto. O governo defende que o índice deve ser o mesmo de outros programas de refinanciamento de dívidas existentes.

Os clubes não gostaram muito da imposição, mas tiveram de aceitar para não colocar em risco a lei. Mas a pressão do Bom Senso pode atrapalhar os planos. "Agora é negociar. Mas os jogadores querem mais responsabilidade por parte dos dirigentes. Sem isso, fica complicado", disse ao Estado fonte ligada aos atletas.

O Bom Senso pretende endurecer na negociação, com apoio de parlamentares como Romário, enquanto não forem incluídas no projeto cláusulas que garantam fiscalização firme e sujeitem os cartolas a punições pesadas em caso do descumprimento do acordo ou atraso no pagamento dos salários. Há esperança de que o projeto seja aprovado ainda este ano, mas na Câmara já se fala em deixá-lo para 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.