Divulgação
Divulgação

Queda na Libertadores adia novo plano de sócio torcedor do São Paulo

Revés e questões operacionais mudam data de lançamento

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

19 de maio de 2015 | 07h00

O São Paulo decidiu adiar o lançamento das mudanças no programa de sócio-torcedor. Previsto para a última semana, as novidades devem ser efetivadas dentro de dez dias, prazo para o clube finalizar o regulamento dos novos planos, resolver problemas operacionais e engrenar na disputa do Campeonato Brasileiro.

A ideia inicial era no dia 15 de maio apresentar aos torcedores todas as mudanças, porém a semana teve contratempos. "Tivemos que acertar detalhes operacionais, questões do regulamento e como o São Paulo ficou fora da Libertadores, achei também que não era o momento de lançar", explicou ao Estado o vice-presidente de comunicações e marketing, Douglas Schwartzmann.

Entre as principais novidades o clube vai ter cinco novas opções de plano. O atual tem somente três pacotes, o mais caro deles tem a mensalidade de R$ 100. Com as mudanças, serão ao todo oito planos, com valores que vão variar de R$ 19 até R$ 490. Nesse mais caro, o torcedor vai ter como principais vantagens ganhar camisa oficial e, para os jogos, além de não precisar pagar entradas, poderá levar acompanhante e ficar no Morumbi em uma área nobre e com buffet.


Nos últimos cinco meses, a diretoria tricolor fez pesquisas e comparou os pontos positivos dos programas de outros clubes para elaborar uma proposta final. A expectativa é fechar o ano 50 mil novas adesões e totalizar 105 mil sócios ativos. Toda a operação das modalidades do programa ficará sob responsabilidade do São Paulo, que dispensou empresas terceirizadas.

O plano também tem como novidade a criação de uma moeda interna, que será chamada de Tricolor, e vai possibilitar a troca por premiações, como compras, viagens e experiências com o time, como encontro com jogadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.