Valeria Gonçalvez/Estadão
Valeria Gonçalvez/Estadão

Quedas e goleada em 2019 desafiam Santos na volta ao Pacaembu após quase 9 meses

Na última vez que enfrentou o Palmeiras, rival deste sábado no Pacaembu, equipe foi derrotada por 4 a 0

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

28 de fevereiro de 2020 | 16h02

Palco de alguns dos momentos mais gloriosos da história do Santos, sendo o mais emblemático neste século a conquista da Copa Libertadores de 2011, o Pacaembu voltará a ser palco de uma partida do clube neste sábado, o clássico contra o Palmeiras, encerrando um hiato de quase nove meses sem jogos da equipe.

O retrospecto recente do Santos no estádio é bom, mas o estádio também foi palco de algumas das maiores decepções do clube em 2019. As lembranças ruins, que incluem um confronto recente com o Palmeiras, causam preocupação, especialmente em um início de temporada de desempenho irregular, o que coloca o técnico Jesualdo Ferreira sob pressão.

Em 2019, o Santos disputou 12 partidas no Pacaembu, sendo 11 como mandante. Venceu oito, perdeu três e empatou uma, sendo eliminado das três competições com mata-mata que disputou na temporada. O único jogo que o Santos fez como visitante no estádio municipal foi diante do Palmeiras. E o resultado foi o pior possível, com derrota por 4 a 0, em 18 de maio, pelo Campeonato Brasileiro.

Como os clássicos no futebol paulista são disputados sem a presença da torcida visitante, não havia santistas no estádio no último confronto com o Palmeiras. E também foi sem a presença deles que o clube foi eliminado em 2019 da Copa Sul-Americana, pois o empate por 1 a 1 com o uruguaio River Plate foi realizado com os portões fechados em razão de punição imposta pela Conmebol ao clube.

As outras duas eliminações do Santos se deram no Pacaembu com público. Um deles, o maior do time em 2019 como mandante. Nas semifinais do Paulistão, 37.731 torcedores do time lotaram o estádio e se decepcionaram com a derrota nos pênaltis para o Corinthians após triunfo por 1 a 0.

Já a queda na Copa do Brasil também foi o último jogo do Santos no Pacaembu até o clássico deste sábado. Em 6 de junho de 2019, o time perdeu, de virada, por 2 a 1, para o Atlético Mineiro, sendo eliminado nas oitavas de final.

Depois disso, atendendo a pedido do então técnico Jorge Sampaoli, o Santos mandou todas as partidas seguintes da temporada na Vila Belmiro, um cenário que só foi alterado agora, quando o sucessor do argentino está sob pressão.

Jogar mais vezes no Pacaembu é uma promessa desde a campanha presidencial de José Carlos Peres, en eleição vencida no fim de 2017. E no seu mandato, essa será a quinta vez que o clássico ocorrerá no Pacaembu, ainda que nem todas com mando santista. Foram três jogos em 2018, sendo elas as semifinais do Paulistão e um duelo pelo Brasileirão, além do confronto pela Série A de 2019.

Levar o clássico contra o Palmeiras ao Pacaembu também faz parte de um acordo com a concessionária Allegra Pacaembu para que o clube atue no estádio da cidade de São Paulo em pelo menos dez partidas na temporada 2020. E o duelo deste sábado será o primeiro deles. Mas o estádio não deverá estar lotado, pois apenas 11 mil ingressos haviam sido vendidos antecipadamente até a noite de quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.