Hassan Ammar/AP
Hassan Ammar/AP

Carlos Queiroz deixa o comando do Irã e fica mais próximo de assumir a Colômbia

Presidente da Federação Colombiana de Futebol, Ramón Jesurún, já confirmou as negociações com o técnico português

Redação, Estadão Conteúdo

29 de janeiro de 2019 | 10h05

A contratação do português Carlos Queiroz como técnico da seleção da Colômbia pode estar mais perto de se materializar após o Irã ser eliminado da Copa da Ásia na segunda-feira, com a derrota por 3 a 0 para o Japão, nas semifinais, e também com o anúncio do treinador de que está deixando o comando da equipe.

Queiroz comunicou a sua saída após a eliminação do Irã, seleção que dirigia desde 2011, no torneio realizado nos Emirados Árabes Unidos. "Agora o final está aqui. Eu fiz do meu jeito, dando o melhor de mim e com o apoio do meu grupo. Obrigado a todos! E obrigado a todos os fãs iranianos", escreveu o treinador em seu perfil no Instagram, após não conseguir levar a equipe à final da Copa da Ásia.

Além disso, o presidente da Federação Colombiana de Futebol, Ramón Jesurún, confirmou as negociações com o técnico português durante o sorteio dis grupos da Copa América no Rio. "Devo admitir que com Queiroz temos conversas muito avançadas e atrevo-me a dizer que temos quase um pacto que vai se vincular conosco", disse, à rádio colombiana La FM. "Não há plano B. Há plano A (Queiroz) e é muito sólido", concluiu.

O português ia esperar o fim do seu compromisso com a federação do Irã para responder ao interesse da Colômbia sobre se vai ser o sucessor do argentino José Pékerman, que levou a seleção para as quartas de final da Copa do Mundo no Brasil e às oitavas na Copa do Mundo da Rússia.

A federação colombiana procura definir rapidamente quem será o técnico para a Copa América e as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. E em seu próximo compromisso, a seleção enfrentará o Japão em 22 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.