Leonhard Foeger/Reuters
Leonhard Foeger/Reuters

Quem é Pia Sundhage, a nova técnica da seleção feminina de futebol escolhida pela CBF?

'Estou motivada para treinar no país do futebol', diz sueca bicampeã olímpica com os EUA

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2019 | 13h47

A sueca Pia Sundhage, nova técnica da seleção brasileira, é uma referência no futebol feminino mundial. Ela costuma realizar trabalhos de longo prazo, apostando nas atletas das categorias de base. Esse perfil atende pedido das próprias jogadoras. A reformulação de uma equipe que está se despedindo de Marta, Formiga e Cristiane é o desafio de Pia ao substituir Vadão, demitido nesta semana pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo. A escolha de Pia é do próprio cartola, abrindo de vez as portas aos técnicos estrangeiros no Brasil.

"Estou motivada para treinar no país do futebol. Para alcançar a melhor performance, juntos. Vamos, Brasil", comentou a nova treinadora da seleção em vídeo enviado para a CBF TV. Neste ano, Pia esteve no Brasil a convite da CBF para um seminário sobre a modalidade. Ela respondeu perguntas sobre a seleção e abriu a possibilidade de estar no cargo.

Pia Sundhage esteve nas últimas três finais olímpicas do futebol feminino, com duas medalhas de ouro e uma de prata conquistadas. Ela era a treinadora da Suécia que eliminou o Brasil nos Jogos do Rio 2016 e foi vice-campeã posteriormente.

Ex-jogadora, Pia iniciou sua carreira aos 17 anos, na Suécia, um dos times mais fortes atualmente no esporte. Esteve no primeiro Mundial organizado pela Fifa, em 1991. Também disputou a edição de 1995 e a Olimpíada de Atlanta em 1996. A carreira se desenvolveu na maior parte do tempo na própria Suécia. A Lazio, da Itália, foi a única equipe em que atuou fora do seu país.

A carreira de treinadora começou antes de se aposentar como jogadora. Ela chegou a acumular as funções de 1992 a 1994 no Hammarby. Em 1998, se tornou assistente técnica do Vallentuna, da Suécia, e voltou a exercer a função no AIK Fotboll (SUE) e no Philadelphia Charge (EUA). Em 2003, assumiu o comando principal do Boston Breakers (EUA). 

Foi a partir de 2008 que Pia Sundhage começou a ascender na carreira. Um ano antes, os Estados Unidos apostaram no trabalho da sueca para dar a volta por cima na modalidade. Nos Jogos Olímpicos de 2008 veio o primeiro grande título, com vitória sobre o Brasil. Em 2011, na Copa, as americanas perderam para o Japão na decisão. No ano seguinte, em uma revanche contra o Japão, a treinadora conquistou mais um ouro olímpico. Seu melhor ano foi exatamente 2012. Além de ser campeã olímpica em Londres, ela foi eleita a melhor técnica do futebol feminino pela Fifa.

Currículo da nova treinadora da seleção feminina

Nome: Pia Morror Sundhage

Nacionalidade: Suécia

Idade: 59 anos

Principais trabalhos como treinadora: Hammarby (Suécia), Boston Breakers (EUA), Kollbotn (Noruega), KIF Orebro (Suécia), China (assistente), Estados Unidos, Suécia e Suécia Sub-17

Títulos: Jogos Olímpicos de 2008 e 2012

Eleita a Melhor Treinadora de Futebol Feminino pela FIFA (2012)

A CBF ainda não detalhou como pretende trabalhar com Pia a partir de agora. A seleção feminina de futebol se desmobilizou após o Mundial da categoria na França, quando foi eliminada pelo time anfitrião. A partir de agora, a entidade fará um cronograma de trabalho para a nova treinadora. Em princípio, ela vai morar no Rio de Janeiro. Terá a primeira barreira do idioma, mas Pia está bastante animada. Seu salário também não foi divulgado. Ela formará sua própria comissão técnica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.