Demian Chavez/Reuters
Demian Chavez/Reuters

Querétaro e mexicanos defendem Ronaldinho: 'Somos todos símios'

Clube cobra castigo exemplar para político que chamou o jogador de 'macaco' nas redes sociais e população cria página contra o racista  

O Estado de S. Paulo

15 Setembro 2014 | 08h36

Ronaldinho Gaúcho ganhou amparo e apoio do Querétaro e dos mexicanos após ser chamado de “macaco” por um político da cidade onde vai jogar, via redes sociais. Nesta segunda-feira, um dia após o post racista de Carlos Trevino Nuñez, clube e cidadãos saíram em defesa de R49 e cobraram ações enérgicas das autoridades. Em nota, os dirigentes pediram um “castigo exemplar” na Hastag #TodosSomosSimios.

"Revoltado por ficar preso no trânsito na sexta-feira, dia da apresentação oficial de Ronaldinho Gaúcho, o ex-secretário do Desenvolvimento Social de Querétaro (2006 a 2009), integrante do Partido da Ação Nacional (PAN) resolveu desabafar pelo Facebook e fez ataques discriminatórios contra o astro brasileiro.

“Realmente, eu tento ser tolerante, mas eu detesto futebol, e o fenômeno de idiotice que produz. Eu detesto ainda mais porque as pessoas inundam as avenidas fazendo-nos chegar duas horas mais tarde em casa. E tudo isso para ver um macaco... Brasileiro, mas ainda assim um macaco. Isso é um circo ridículo”, postou Carlos Trevino Núñez.

Poucas horas depois de sua infeliz declaração, os mexicanos se revoltaram contra o político. Uma comunidade foi criada contra Carlos Trevino, divulgando sua foto e reprovando suas atitudes. “Compartilhem, unidos vamos fazer a diferença contra o racismo no México”, era a chamada do perfil. O político é chamado de “desgraçado” e o pedido é que “pague pelo que disse.”Nem seu partido passou ileso, também acusado de racista.

O Querétaro promete dar total apoio para Ronaldinho e, em nota, repudiou totalmente a atitude do político.“Depois da lamentável publicação realizada por uma pessoa de status público, o senhor Carlos Manuel Trevino Núñez, vertida através das redes sociais insultado nosso jogador Ronaldo de Assis Moreira "Ronaldinho", exortamos as respectivas autoridades para que tomem ações no assunto e afirmamos que como clube chegaremos até as últimas consequências da lei para que este tipo de expressões não voltem a afetar a algum de nossos jogadores e membros do clube”, trouxe parte da nota oficial.

NOTA DO CLUBE

A discriminação racial é uma grave expressão social que lastima a dignidade das pessoas. Por isso, o Club Gallos Blancos de Querétaro rechaça determinantemente todas as formas de racismo e discriminação.

O racismo, a xenofobia, a desigualdade de gênero e outras práticas discriminatórias são uma forma de violência que devemos erradicar como sociedade.

Depois da lamentável publicação realizada por uma pessoa de status público, o senhor Carlos Manuel Trevino Núñez, vertida através das redes sociais insultado nosso jogador Ronaldo de Assis Moreira "Ronaldinho", exortamos as respectivas autoridades para que tomem ações no assunto e afirmamos que como clube chegaremos até as últimas consequências da lei para que este tipo de expressões não voltem a afetar a algum de nossos jogadores e membros do clube.

Em nossa instituição nos apegamos à Declaração Universal dos Direitos Humanos, cujo primeiro artigo afirma que “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos e, dotados como estão de razão e consciência, devem comportar-se fraternalmente uns com os outros”.

Por isso, exigimos um castigo exemplar.

 #TodosSomosSimios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.