Quilmes promete pedir indenização

O vice-presidente do Quilmes, Julio Garcia, disse nesta sexta-feira em São Paulo, que vai mover uma ação judicial pedindo reparação de danos em conseqüência da prisão do zagueiro Leandro Desábato. O dirigente considera que a prisão foi injustificada e que o jogador e a delegação argentina foram maltratados no Brasil. O dirigente contou que Desábato está deprimido, assim como toda a família do jogador. Ele revelou que a mulher de Desábato está grávida de 7 meses e está ?vivendo momentos de angústia e aflição? na Argentina. ?Quando chegarmos em nosso país vamos tomar providências. Nós tivemos todo tipo de problema por aqui e com certeza vamos buscar uma reparação pelos prejuízos morais e financeiros que tivemos?, afirmou o dirigente. A forma como isso vai ser feito ele próprio ainda não sabe. ?Só sabemos que vamos buscar algum tipo de reparação pelo mal irreparável de que fomos vítimas?, acrescentou. ?Acreditamos que a prisão de Desábato foi uma grande injustiça e vamos buscar algum tipo de reparação?, repetiu.Julio Garcia esteve no início da tarde no 13º DP, onde o jogador está preso desde a noite de ontem. Disse que foi levar roupas limpas e alimentos ao jogador e conferir as condições em que ele se encontrava. E disse não ter gostado do que viu. ?Ele está abatido como estaria qualquer pessoa honrada que é encarcerada sem ter cometido nenhum crime. Trata-se de um prejuízo irreparável para todos nós?, disse.Julio Garcia criticou ainda apostura da diretoria do São Paulo neste episódio. ?Estamos muito tristes com os dirigentes do São Paulo, que em nenhum momento nos procuraram para conversar ou oferecer algum tipo de auxílio?, disse.Desábato foi preso na noite de quarta-feira, assim que terminou a partida entre Quilmes e São Paulo, pela Copa Libertadores da América, acusado de ter feito comentários de cunho racista contra o atacante brasileiro Grafite. Grafite disse que aceita um eventual pedido de desculpas, mas garantiu que não pretende retirar a queixa contra Desábato.A delegação do Quilmes permanece em São Paulo esperando a liberação do zagueiro. Por conta disso, existe até a possibilidade de a partida contra o River Plate, marcada para domingo, pelo Torneio Clausura, ser cancelada.

Agencia Estado,

15 de abril de 2005 | 12h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.