Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Quinze pessoas são mortas em partida do Mazembe pelo campeonato local

Na República Democrática do Congo, jogo também termina com outros 24 feridos

O Estado de S. Paulo

11 de maio de 2014 | 21h21

KINSHASA - Na República Democrática do Congo, pelo menos 15 pessoas foram mortas e outras 24 ficaram feridas no final da partida entre ASV Club e Mazembe, pelo torneio nacional. De acordo com a polícia local, os torcedores morreram de asfixia após policiais atirarem bombas de gás lacrimogêneo para acabar com a confusão da torcida. O episódio ocorreu no Estádio Tata Raphaël, em Kinshasa, neste domingo.

De acordo com o ministro de Kinshasa, capital do país africano, Emmanuel Akweti, a briga começou depois de a torcida do ASV Club ficar irritada com a derrota de sua equipe por 1 a 0 em casa. "Quatro policiais estavam sendo perseguidos pelos torcedores. Foi quando eles atacaram bombas de gás lacrimogêneos e o tumulto começou, causando as mortes", disse o político à reportagem da Reuters.

As TVs locais mostraram corpos deitados fora de leitos do principal hospital de Kinshasa. De acordo com as informações, outros canais mostraram vestígios de fumaça pelo estádio, onde torcedores, cegos pelo gás lacrimogêneo, corriam em direções diferentes, chegando a tropeçar uns nos outros. A confusão foi grande e trágica. Por meio de seu Facebook, o Mazembe, time conhecido no Brasil por eliminar o Internacional na semifinal do Mundial de Clubes de 2010, postou imagem do ocorrido na República Democrática do Congo.

Essa não é primeira vez que uma superlotação causa óbitos no país africano. No mês passado, 24 pessoas foram mortas quando um corte de energia causou tumulto em um festival popular de música.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolmazembetragédiamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.