Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Rafael espera fechar 'ano muito fantástico' pelo Cruzeiro com nova vitória

Goleiro se destacou como titular no primeiro semestre, após Fábio sofrer lesão

Estadão Conteúdo

29 Novembro 2017 | 17h10

O ano de 2017 marcou uma virada na carreira do goleiro Rafael. Reserva absoluto de Fábio no Cruzeiro, ele aproveitou a grave lesão do titular para ganhar espaço no primeiro semestre e se destacar. No domingo, estará novamente no gol celeste no duelo diante do Botafogo, no Rio, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. E quer uma nova vitória para encerrar a temporada com chave de ouro.

+ Cruzeiro fecha contrato por dois anos com Egídio

"Foi um ano muito fantástico profissionalmente para mim. Poder compartilhar todos estes momentos no clube neste ano, que foi muito bacana. É muito importante para mim, sabemos como as vitórias e as conquistas são importantes. Só tenho coisas boas a falar desse ano e tenho certeza que virão anos muito melhores daqui para frente. Esperamos fechar o ano com uma vitória", declarou nesta quarta-feira.

Rafael admitiu que as oportunidades que teve no primeiro semestre mudaram sua perspectiva no clube. Se estava em busca de espaço, ganhou elogios de Mano Menezes e, inclusive, renovou seu contrato até 2021. Além disso, fez parte da campanha do título da Copa do Brasil.

"Me sinto bem, me sinto útil. Tenho confiança da diretoria, da comissão, dos atletas que aqui estão. No final do ano, se pegar todo o elenco, praticamente todo muito foi importante. Tiveram jogadores que não jogaram parte dos jogos, mais foram titulares, por exemplo, na reta final. No balanço geral, todo muito é importante, sendo titular, reserva, atuando pouco ou muito. É isso que eu tento focar mesmo, crescendo, buscando a melhora diária", afirmou.

Já pensando em 2018, o goleiro mostrou confiança nas possibilidades do Cruzeiro. "Eu, como todos que estão, acreditamos muito no nosso potencial. Sabemos o que podemos conquistar. Estamos nos preparando para isso. A conversa não foi só ganhar a Copa do Brasil, mas foi formar um time vencedor. Uns vão chegar, outros vão sair. Mas a base, provavelmente, vai ser mantida a mesma. Só depende de nós para buscar excelência, buscar mais títulos e deixar a marca desse grupo."

Mais conteúdo sobre:
Cruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.