Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Rafael Marques compara Gabriel Jesus a Vitinho no Palmeiras

Atacante pede cautela e paciência com a promessa do Palmeiras

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2015 | 07h04

Ao ver o apelo popular e toda a atenção da mídia em cima do atacante Gabriel Jesus, do Palmeiras, Rafael Marques relembra que já viveu essa situação. Em 2013, quando defendia o Botafogo, situação parecida ocorria com Vitinho, que também tinha aparecido como um fenômeno da base.

"No Botafogo passei por algo assim com o Vitinho. Chegou ao ponto do Seedorf evitar que o garoto desse uma entrevista para tirar a pressão de cima dele. A gente tem que evitar isso também, porque pode-se queimar um jogador desta forma", explicou o atacante palmeirense.

O fato de Seedorf proibir Vitinho de falar aconteceu em um jogo contra o Vitória, no Maracanã. No intervalo da partida, o time carioca vencia por 1 a 0, com gol do garoto, e os jornalistas presentes no campo queriam falar com ele. O atacante chegou a parar e antes de responder, foi levado por Seedorf, que depois explicou que a ordem naquele momento era manter o foco na partida. 

Em relação a Gabriel Jesus, ele até já deu entrevista coletiva, mas o assédio continua sendo muito grande. "Ele é um garoto. A gente sabe o potencial dele, é uma joia, mas tem que ter cuidado. Olha o patamar que estamos falando dele. Todo jogo a torcida pede a entrada dele. A gente pede a colaboração de todos para que deixem o menino mostrar seu futebol com calma. Podem ter certeza que, com o passar do tempo, ele vai virar titular do Palmeiras, mas tudo bem seu tempo", comentou Rafael Marques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.