Rafael Marques minimiza peso de reserva no Palmeiras e mira tranquilidade no G4

Apesar da marca de 15 gols na temporada, o meia Rafael Marques é reserva do ataque formado por Gabriel Jesus, Dudu e Barrios. Mesmo saindo do banco de reservas na maioria da partidas, o jogador afirma que o Palmeiras está acima de todos. No confronto diante do Inter, ele precisou de apenas dois minutos para fazer o gol de empate com sua especialidade: o cabeceio.

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2015 | 11h24

"Não existe titularidade neste grupo, eu sempre falei. Existe um grupo forte, unido, e para chegar onde a gente quer tem de ter isso. Tem de sair do banco, ajudar, e é isto que vou tentar. No banco ou jogando, terei o mesmo sorriso no rosto, a mesma disposição, pois o Palmeiras está acima de todos", afirmou.

Em sua segunda passagem pelo clube, o atleta já entrou em campo 56 vezes com a camisa do Palmeiras. Ele deve começar o próximo jogo, domingo, contra o São Paulo, que será a última partida de suspensão de Dudu no Campeonato Brasileiro. "Agora é pensar no clássico de domingo, um jogo importante, praticamente um jogo de seis pontos. Uma vitória que pode dar tranquilidade para a gente permanecer no G4", disse Rafael Marques.

Rafael Marques ainda não tem sua permanência no clube confirmada. A diretoria considera alto o valor de US$ 1,5 milhão (R$ 5,9 milhões) exigido pela sua contratação. Ele foi emprestado pelo Henan Jianye, da China. O jogador afirmou que quer continuar no Palmeiras.

Após a vitória sobre o Grêmio, no último sábado, Robinho fez um apelo público à diretoria para a permanência do companheiro. "Nós jogamos ali atrás e sabemos como ele é importante. Espero que a diretoria faça um esforço para ele ficar", disse o meia, elogiando Rafael Marques.

O presidente Paulo Nobre afirmou que gostaria muito que ele renovasse seu contrato. "É um jogador que chegou muito contestado, com muitos palmeirenses torcendo o nariz, e hoje é um dos jogadores pelos quais a torcida tem o maior respeito. Não só em campo, mas fora de campo: ele é ótimo de vestiário, excelente de grupo, um jogador que eu gostaria muito que continuasse", afirmou o dirigente em entrevista ao SporTV. "Mas avaliar quem vai continuar e quem não vai é uma discussão super interna da diretoria de futebol", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.