Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Rafael Marques nega ser o 'queridinho' de Oswaldo no Palmeiras

Atacante não se incomoda com rótulo e sabe que 'se não estiver rendendo o que o treinador espera, vou para o banco'

DANIEL BATISTA, Estadão Conteúdo

17 de fevereiro de 2015 | 16h04

Quando Rafael Marques foi anunciado como novo jogador do Palmeiras, muita gente foi pega de surpresa e logo foi lembrado o fato dele ter trabalho com o técnico Oswaldo de Oliveira no Botafogo e, consequentemente, muitos torcedores e parte da imprensa passaram a falar que ele só foi contratado por ser "protegido pelo treinador". O atacante negou a relação e ainda atacou quem o chama assim. 

"Não incomoda (ser chamado de "Queridinho do Oswaldo") porque sei o quanto ele é justo com os jogadores. Em momento algum vi jogador falar que ele foi injusto com alguém. Ele dá atenção para todos e coloca quem está em melhor momento. Se eu não estiver rendendo o que ele espera, vou para o banco", explicou o atacante, que tem sido reserva e ainda não começou nenhuma partida como titular no Campeonato Paulista.

Para reforçar que não tem qualquer proteção do treinador, ele lembra que no Botafogo chegou a ser praticamente encostado pelo treinador pelo fato de não conseguir jogar bem. "Houve uma situação no Botafogo. Em 2012, ele me bancou o ano inteiro e em 2013 eu comecei no terceiro time. Então quem acha que sou queridinho, é só ver o que aconteceu e conhecer a minha história", completou.

Rafael Marques pode não ser o queridinho do chefe, mas foi uma contratação pedida por Oswaldo. O treinador deixou claro para a diretoria que gostaria de contar com o jogador, mesmo com alguns dirigentes torcendo o nariz e preferindo outros nomes no mercado. Aos poucos, o jogador vai ganhando espaço e pode, em breve, conquistar uma vaga entre os titulares.

A versatilidade é uma de suas virtudes. Ele iniciou a carreira como centroavante e chegou até a jogar pelo Palmeiras em 2004, quando teve uma passagem sem destaque algum. Mas a passagem por vários clubes e a experiência, fez com que ele aprendesse a jogar também mais recuado, caindo pelas pontas e até como um meia mais avançado. "Minha preferência é jogar nessa linha de três, mas atuo também como centroavante, embora não goste muito", explicou o atacante, que chegou a ficar 21 jogos sem marcar um gol pelo Botafogo.

O elenco do Palmeiras se reapresenta na tarde desta terça-feira, após dois dias de folga. Será a primeira semana livre que o treinador tem para trabalhar desde a primeira rodada do Paulista. Boa oportunidade para o treinador fazer alguns ajustes na equipe.

"O primeiro jogo nosso é um exemplo. Tivemos tempo para nos preparar e conseguimos jogar bem - vitória por 3 a 1 sobre o Audax. Conheço bem o Oswaldo e ele gosta de trabalhar os pontos fortes e fracos do adversário. Essa semana vai ser produtiva nessa parte e na readaptação da equipe. Pode ter certeza que mais para frente, virão os resultados", avisou Rafael Marques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.