Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Rafael Marques supera a desconfiança da torcida do Palmeiras

Atacante ganha espaço e se torna um dos principais atletas do time

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2015 | 07h00

Das 20 contratações feitas pelo Palmeiras no ano, uma das mais contestadas foi a de Rafael Marques. Até mesmo entre os dirigentes ele estava longe de ser unanimidade, e só foi contratado por ser um homem de confiança de Oswaldo de Oliveira. Três meses depois, ele se tornou um dos jogadores mais importantes da equipe e chega à decisão com o rótulo de especialista em clássicos.

Dos seis gols marcados no Estadual – ele é o artilheiro da equipe – três foram nos dois clássicos que disputou: dois contra o São Paulo e um diante do Corinthians. Na primeira fase, ele não enfrentou Corinthians nem Santos.

Chegar na decisão como um dos destaques do time tem um sabor especial para o atacante, que teve uma rápida passagem pelo Palmeiras em 2004 e não deixou saudades. Para piorar, quando chegou ao clube foi rotulado como "queridinho do Oswaldo", alcunha que já o deixou irritado em alguns momentos, mas hoje ele dá risada.

Sua versatilidade tem sido muito útil para o time. Ele mostrou qualidade e dedicação para jogar na linha de três meias aberto por um dos lados e também mostrou qualidade atuando como homem de referência no ataque.

Uma das jogadas mais fortes da equipe tem ele como protagonista. Robinho aparece pela ponta e cruza na área, em um espaço teoricamente vazio. Rafael, então aparece por trás da zaga e finaliza de primeira. Assim foi a jogada de um dos gols contra o São Paulo e diante do Corinthians.

"Ouvi torcedores falando que eu queimei a língua deles. Foi assim comigo no Botafogo também. Não quero dar resposta para ninguém, e sim alegrias para a torcida", disse o atacante, que tem contrato até o fim do ano.

Seu objetivo é convencer a diretoria a contratá-lo. Pelo que vem mostrando, ele tem dado motivos para ficar e continuar a reescrever sua história no clube. 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.