Rafael Moura admite que deve mesmo deixar o Goiás

Além da perda de um título sonhado, o Goiás já vive o drama de ficar sem um de seus melhores jogadores: o atacante Rafael Moura. No desembarque da delegação do time em Goiânia, nesta quinta-feira, após a derrota para o Independiente na final da Copa Sul-Americana, na noite anterior, na Argentina, ele reafirmou que não deve mesmo ficar no clube goiano.

RUBENS SANTOS, Agência Estado

09 de dezembro de 2010 | 20h29

"É grande a decepção pela perda do título. Não tem nada que possa substituir esse sentimento de frustração", lamentou Rafael Moura, ao comentar sobre a derrota nos pênaltis para o Independiente, num ano em que o Goiás fracassou no Campeonato Goiano e foi rebaixado no Brasileirão. "Perder o título na Sul-Americana foi um desastre. É tudo muito decepcionante."

Mas Rafael Moura explicou que a perda do título da Sul-Americana não é determinante para sua saída do Goiás. E nem mesmo o rebaixamento para a Série B do Brasileiro. O fato é que o atacante de 27 anos ficou bastante valorizado após a boa performance, principalmente no segundo semestre, o que lhe abriu várias portas. O futuro dele, no entanto, ainda é desconhecido.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGoiásRafael Moura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.