Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Rafael valoriza ponto fora e Mano vê empate do Cruzeiro como uma 'quase vitória'

O empate comemorado por Rafael foi suficiente para tirar o Cruzeiro da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro

Redação, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2019 | 20h18

Apesar de ter chegado ao oitavo jogo seguido sem vitória no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro deixou a Arena Fonte Nova, na noite deste sábado, valorizando o empate por 0 a 0 com o Bahia. Um dos jogadores que exaltou a importância do ponto somado em Salvador foi o goleiro Rafael, capitão do time reserva mandado a campo pelo técnico Mano Menezes, que poupou os titulares para o confronto de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, na próxima terça-feira, contra o River Plate, em Buenos Aires.

"O ponto tem de ser comemorado sim. Sabíamos que iríamos enfrentar uma dificuldade grande. Era time que não vinha jogando, com falta de ritmo de jogo, então é parabenizar todo mundo porque jogamos muito, corremos muito. Poucos times vão vir e empatar com o Bahia. Claro que queríamos a vitória, mas saímos felizes com o desempenho", comentou Rafael.

O empate comemorado por Rafael foi suficiente para tirar o Cruzeiro da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A equipe subiu para o 16º lugar, com dez pontos, empurrando o Fluminense para a degola. O time mineiro, no entanto, pode voltar ao grupos dos últimos quatro colocados da tabela caso a Chapecoense derrote o São Paulo, no Morumbi, no encerramento da rodada, na segunda-feira.

Ao analisar o desempenho cruzeirense em Salvador, o técnico Mano Menezes minimizou a importância do fato de o seu time não ter conseguido marcar gols, apesar de atuar com um jogador a mais durante todo o segundo tempo - atacante Arthur Caíke, do Bahia, foi expulso no final da primeira etapa.

"Falta entrosamento de uma equipe que não joga (junto). Os espaços apareceram. O fato de ter superioridade numérica fez com que a gente chegasse muitas vezes ao ataque. Mas faltou a parte de entrosamento para conseguir a vitória. Mas é quase uma vitória que estamos levando aqui, pelas circunstâncias", analisou o comandante, em entrevista coletiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.