Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Rafinha aponta falhas da diretoria do Flamengo na saída de Jorge Jesus

Lateral-direito acredita que a equipe não estava preparada para perder o treinador português

Redação, Estadão Conteúdo

24 de julho de 2020 | 13h58

O lateral-direito Rafinha apontou falhas da diretoria do Flamengo no episódio que culminou com a saída do técnico Jorge Jesus. Segundo o experiente defensor, o clube da Gávea não se preparou para substituir o treinador português, que foi para o Benfica.

"Nós temos que ser realistas: nessa parte o Flamengo falhou. Ninguém imaginava que ia acontecer isso, ninguém pensava que ele ia sair, ainda mais tendo renovado um mês antes. Então nessa parte até o próprio clube já se pronunciou dizendo que falharam. Não ter uma segunda opção caso ele rescindisse ou voltasse para o país dele, o Flamengo não se preparou para isso. Não dá pra culpar a diretoria, o Flamengo se preparou para renovar com ele, aí ele chegou e disse que tinha outro projeto, tinha família dele lá e pronto", disse Rafinha, nesta sexta-feira, durante entrevista ao canal ESPN.

O nome do espanhol Domènec Torrent é um dos mais cotados para substituir Jesus e Rafinha só tem elogios para o treinador com quem trabalhou no Bayern de Munique. "Foram três anos que trabalhamos juntos no Bayern, depois ele foi para o City com o Pep. É aquela história, ele é da escola do Cruyff, né? É um cara que sabe tudo e mais um pouco de bola. No Bayern, os treinamentos quem dava era ele, o Guardiola ficava só corrigindo e tal. É um cara que dispensa comentários."

Caso não seja feito um acerto com técnico estrangeiro, Rafinha não vê problemas em trabalhar com profissionais nacionais, mas admite que qualquer um que venha a assumir a função terá problemas.

"Agora é o seguinte: esse é o problema. É complicado pegar um time na situação que a gente está porque tudo que acontecer agora vai ficar na sombra do cara. O Jorge Jesus teve mais título que derrota, o trabalho dele foi demais. Agora sendo realista, nenhum técnico que vier para o Flamengo vai querer manter a linha dele. Imagina se você pegar um treinador e ele vai falar para gente continuar fazendo o que a gente estava fazendo, isso não acontece no futebol", afirmou o lateral. "Cada treinador tem seu método de trabalho, seu sistema. E isso vai custar, mas é o que a gente sempre fala: agora é outro ciclo que começa. Jorge Jesus acabou, não está mais. Vai começar ganhando? Vai começar perdendo? Ninguém sabe."

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoRafinhafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.