Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Rafinha pede cautela ao Flamengo para encarar o Santos: 'Euforia do lado de fora'

Lateral ressalta necessidade de concentração para o time não ter excesso de confiança

Redação, Estadão Conteúdo

10 de setembro de 2019 | 10h18

O Flamengo faz neste sábado, às 17 horas, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, um dos jogos mais aguardados do Campeonato Brasileiro. Líder com 39 pontos, o time carioca enfrenta o Santos, vice com 37, pela 19.ª rodada, a última do primeiro turno da competição. Um dos jogadores mais experientes do elenco, o lateral-direito Rafinha pede cautela ao time para a partida.

"Pela experiência que tenho, sei que devemos ter muito cuidado no futebol. A euforia tem que ficar do lado de fora. O mister (técnico português Jorge Jesus) sempre cobra isso. Temos que ter o pé no chão. Não importa como começa. O que importa é como termina", disse o jogador de 34 anos, contratado recentemente junto ao Bayern de Munique.

"Espero que possa sair muitos gols, mas que seja ao nosso favor. Espero que a gente possa fazer um ótimo jogo e que saia vitorioso. Tenho certeza que vai ser um grande jogo", prosseguiu Rafinha sobre qual é a sua expectativa para o confronto contra o time comandado pelo técnico argentino Jorge Sampaoli.

O Santos é a ex-equipe de dois dos atacantes com mais gols pelo Flamengo nesta temporada: Bruno Henrique e Gabriel, este artilheiro do Brasileirão com 15 gols. Rafinha torce para que eles estejam inspirados neste sábado. "Eu nunca fiz gol contra meu ex-clube, mas já joguei no Bayern contra. É uma sensação diferente. Espero que eles consigam manter essa média de continuar marcando", afirmou.

Líder do Brasileirão, o Flamengo tem disparado o melhor ataque com 41 gols - o segundo colocado é justamente o Santos, com 30. O lateral-direito enalteceu o feito do clube até agora. "É trabalho. Vem sendo feito intensamente todos os dias. Não é surpresa porque da forma que a gente está trabalhando, é natural esse desenvolvimento. A gente aplica a execução dos treinos nos jogos. Os jogadores captaram a mensagem", comentou.

Esse trabalho é comandado por Jorge Jesus, que recebeu elogios de Rafinha. "Para mim está sendo ótimo. Eu já conhecia o trabalho do mister na Europa. Ele é conhecido pelo sistema e forma de trabalhar no futebol europeu. É interessante que venham treinadores estrangeiros. Se vierem para acrescentar, por que não? Mas o Brasil também tem uma boa escola de treinadores. Tem treinadores vitoriosos que foram campeões em tempos até mais difíceis", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.