José Patrício/AE
José Patrício/AE

Ralf atinge 300 jogos pelo Corinthians e deixa de lado briga por dívida

Volante sabe que o duelo desta quarta-feira é muito especial por se tratar de um confronto contra o rival São Paulo pela Libertadores

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 07h00

Ralf tem muitos motivos para comemorar. Hoje, quando entrar em campo, ele completará 300 partidas com a camisa do Corinthians e sabe que o duelo é muito especial por se tratar de um confronto contra o rival São Paulo pela Libertadores. "Fico feliz com essa marca, a gente sabe que não é qualquer um que consegue atingir isso. É uma camisa que exige muito respeito e estou agora ao lado de outros ídolos."

Ele teve uma participação importante na conquista do Corinthians na Libertadores de 2012. No primeiro jogo, fora de casa, na Venezuela, contra o Deportivo Táchira, ele evitou a derrota ao marcar de cabeça no último minuto. A partir daí, o time engrenou e chegou ao título inédito de forma invicta. "Para ser sincero, eu nem lembrava mais disso, faz tanto tempo”, comentou Ralf. "Claro que gostaria de fazer o gol novamente, mas nosso primeiro objetivo é conseguir a vitória."

Ralf entende a importância do confronto, ainda mais por se tratar de um grande rival do Corinthians. "A ansiedade existe, mas é normal, como ocorre em todos os jogos. Esse duelo tem um sabor especial, mas a gente tenta se manter tranquilo para chegar bem na partida”, diz volante, que terá a função de proteger a defesa para evitar os contra-ataques do adversário. “Nós nos preparamos bem durante a semana para conseguir a vitória no clássico."

No início da temporada Ralf ameaçou deixar o clube por causa de uma dívida no pagamento de seus direitos de imagem. Ele ainda não recebeu, mas preferiu não polemizar com a diretoria antes de um duelo tão importante. "O clube ainda não pagou, mas a gente vem conversando com a diretoria. Sabia que teria de esperar a eleição para presidente e não tenho muito o que falar. Estou há cinco anos aqui e nunca tive problema. Estou focado, feliz, os valores financeiros nunca atrapalharam e vamos manter o foco."

Por causa da possibilidade de perder Ralf o Corinthians foi em busca de outro jogador para a posição e trouxe de volta Cristian, um velho ídolo, que estava na Turquia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.