Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Ramirez é afastado após acusação de racismo; presidente do Bahia liga para Gerson

Clube afirmou que o jogador negou veementemente a acusação, mas entende que voz da vítima é preponderante em casos desta natureza

Redação, Estadao Conteudo

21 de dezembro de 2020 | 08h51

O Bahia informou, por intermédio de uma nota, que o jogador colombiano Índio Ramirez foi afastado dos trabalhos da equipe após a denúncia de racismo feita por Gerson, do Flamengo, durante o jogo realizado neste domingo, no Maracanã, que terminou com vitória do time rubro-negro por 4 a 3, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O clube afirmou que o jogador negou "veementemente a acusação e a ele está sendo dada a oportunidade de se defender de algo tão grave". Segundo a nota, "é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza. Assim, decidiu afastar imediatamente o jogador das atividades da equipe até a conclusão da apuração".

A nota do clube se encerra com a informação de que o presidente Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade. Tradicionalmente, o Bahia é um dos clubes brasileiros que mais combatem o racismo e outros preconceitos. O time baiano está atento a ações afirmativas e, no dia da Consciência Negra, lançou um vídeo contra o racismo institucional e estrutural. Na peça, uma professora aposentada fala sobre como a sociedade, ainda que de forma inconsciente, reproduz ações e comportamentos que colocam os negros em situação de inferioridade.

Além disso, como parte da campanha "Dedo na Ferida", o Bahia lançou um site que reúne conteúdo sobre o combate ao racismo e  promoveu oficinas para conscientizar os funcionários tricolores e propagar a igualdade racial dentro do clube.

O lance deste fim de semana ocorreu após um gol do Bahia. Ramirez teria "provocado" o flamenguista e feito injúria racial: "Cala a boca, negro". Na hora do ocorrido, Gerson ficou indignado e quis tirar satisfação, o que gerou um dos tantos atritos da partida. A bronca de Gerson acabou ocasionando um bate-boca com Mano Menezes. O técnico do Bahia defendeu seu jogador e os microfones da transmissão de TV captaram ele dizendo que o colombiano era "novo e ia aprender", além de afirmar que o flamenguista estaria usando de "malandragem".

Após o jogo, no qual o Flamengo venceu por 4 a 3, o treinador foi demitido depois da quinta derrota consecutiva e sete jogos sem vitória. O time baiano é apenas o 16º colocado no Campeonato Brasileiro.

Confira a nota do Bahia na íntegra:

"O Esporte Clube Bahia vem a público se manifestar sobre a denúncia de racismo feita pelo atleta Gerson, do Flamengo, ocorrida na noite deste domingo (20).

O atleta Indio Ramírez nega veementemente a acusação e a ele está sendo dada a oportunidade de se defender de algo tão grave. O clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza.

Assim, decidiu afastar imediatamente o jogador das atividades da equipe até a conclusão da apuração. O presidente Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.