Lucas Uebel/ Grêmio
Lucas Uebel/ Grêmio

Ramiro projeta '90 minutos da vida' e fala em 'desfrutar' de final

Grêmio enfrenta o Lanús na decisão da Libertadores na quarta-feira

Estadão Conteúdo

27 Novembro 2017 | 22h06

Depois de realizar o último treino com o elenco do Grêmio em Porto Alegre antes da viagem do time à Argentina para o confronto de volta da decisão da Copa Libertadores, contra o Lanús, na quarta-feira, o volante Ramiro concedeu entrevista coletiva no início da noite desta segunda e ressaltou a importância de estar prestes a disputar a partida mais importante de sua carreira profissional.

+ Renato fecha treino e faz mistério antes de viagem à Argentina

O jogador admite que existe uma grande tensão em torno de tudo que está em jogo para as duas equipes, que travaram vários conflitos acalorados na semana passada, quando os gremistas venceram o duelo de ida da final por 1 a 0, na capital gaúcha. Porém, Ramiro ao mesmo tempo também procurou aliviar um pouco a pressão ao dizer que a sua equipe precisa saber "desfrutar" deste momento histórico.

"É um grande jogo, uma decisão onde muitos jogadores queriam estar. Muitos jogadores queriam estar vivendo este momento. É hora de desfrutar, de curtir. É confiar no nosso potencial, no nosso trabalho coletivo, que vai dar tudo certo", afirmou Ramiro, para depois ressaltar a importância de o time conquistar este tricampeonato da Libertadores para o Grêmio, que já foi campeão continental em 1983 e 1995.

"Temos essa honra (de poder jogar pelo título), fomos premiados depois de muito trabalho, de dedicação, com uma final de Libertadores. Agora é se dedicar ao máximo, e fazer destes 90 minutos os 90 minutos da vida. É colocar o Grêmio no ponto mais alto da América", completou.

Ramiro também revelou na entrevista coletiva que almoçou nesta segunda-feira com o zagueiro Bressan, que deverá ser confirmado na equipe titular pelo técnico Renato Gaúcho como substituto de Kannemann, suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido no duelo de ida da final. Ironia do destino, o volante assim deverá atuar, justamente neste confronto decisivo, desde o início da final com quem conhece desde a adolescência e com quem já foi companheiro de time no Juventude, outro clube gaúcho.

E Ramiro disse confiar no futebol do velho amigo e negou que tenha dado conselhos ao companheiro, pois destacou que Bressan tem experiência de sobra para suprir a ausência do titular. "Ele está preparado, se dedica muito com todos do grupo. Agora é hora de botar para fora todo o potencial. Vai dar tudo certo. Não tem que dar conselho nenhum. Claro que não, ele tem muita experiência. Já jogou em diversos clubes, disputou diversas partidas importantes. Sabe bem o que fazer", assegurou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.