Marcelo Cortes/ CR Flamengo
Marcelo Cortes/ CR Flamengo

Ramon lamenta trágico acidente e afirma que vai ajudar família da vítima: 'passar por isso juntos'

Em nota divulgada no início da tarde, lateral do Flamengo diz que estava respeitando os limites de velocidade da pista quando atropelou ciclista que morreu

Redação, Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2021 | 12h24

No início da tarde deste domingo, o jogador Ramon publicou uma nota sobre o acidente que provocou a morte do ciclista, e entregador de aplicativo, Jônatas Davi dos Santos, de 30 anos. O acidente aconteceu na noite de sábado, 4, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Na nota, o jogador lamentou o episódio e, em seguida, explicou que estava dirigindo dentro da velocidade permitida. Ramon ainda ressaltou que acionou o socorro após o acidente, permaneceu no local prestando auxílio às autoridades e se colocou à disposição para colaborar com as investigações do caso. 

O atleta disse também que está em contato com a família de Jônatas, e se ofereceu para ajudá-los com as despesas do sepultamento da vítima. "Nesse momento de dor e sofrimento para todos os envolvidos, estou buscando forças para auxiliar em tudo o que for necessário para a família da vítima. Estamos em contato com a família do Jônatas para dar o suporte necessário e colaborar com possíveis despesas do sepultamento. É um momento de muita tristeza e comoção, mas também é um momento de respeito e amor ao próximo. Vamos passar por isso juntos".

Em depoimento dado na 16ª DP, ao lado do advogado, o lateral-esquerdo do Flamengo, Ramon, negou ter ingerido bebida alcoólica antes de se envolver no atropelamento que provocou a morte do ciclista, e entregador de aplicativo, Jonatas Davi dos Santos, de 30 anos. O acidente aconteceu na noite de sábado, dia 4, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

De acordo com o próprio jogador, o ciclista cruzou a pista repentinamente e o pegou de surpresa. No mesmo depoimento, Ramon afirmou que chamou pelos bombeiros para fazer o atendimento no local. O ciclista, porém, morreu a caminho do hospital Lourenço Jorge. O caso foi registrado como homicídio culposo provocado por atropelamento.

Investigações ainda indicarão como aconteceu o atropelamento e não há informações se o jogador foi submetido ao teste acoolemia. Um policial militar que esteve no local, também em depoimento, afirmou que a rua é bem sinalizada, que as condições climáticas e de visibilidade eram boas no momento do atropelamento, e que o fato ocorreu logo depois de um semáforo.

Ao Estadão, mais cedo, a assessoria do atleta afirmou que Ramon estava ainda muito triste e abalado com o ocorrido, e que estavam buscando uma forma de entrar em contato com a família da vítima. A assessoria do Flamengo afirmou também que está prestando todo apoio ao lateral neste momento e que "o clube deixou o atleta bem à vontade para vir treinar ou não". 

Reeleito presidente do Flamengo neste sábado, Rodolfo Landim comentou o acidente: "Eu estava no meio da contagem dos votos quando alguém me contou. A gente fica triste. Ele é um atleta exemplar. Óbvio que vamos prestar apoio a ele", finalizou.

Imagens do veículo mostram o parabrisa quebrado no lado do passageiro. Toda a lateral do lado direito do carro também ficou danificada, incluindo o retrovisor, que foi arrancado com o choque. A polícia pretende contar com imagens de câmeras de segurança do local, além da coleta de depoimentos para as apurações.

Ramon passou a ser mais utilizado na equipe principal do Flamengo nesta reta final de temporada. O atleta foi titular em sete dos últimos 11 jogos da equipe rubro-negra no Campeonato Brasileiro. O lateral também participou de alguns jogos da Copa do Brasil e da Libertadores.

Confira a nota na íntegra:

Primeiramente preciso lamentar o trágico acidente no qual me envolvi na noite do último sábado (04), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Acidente este que acabou vitimando o sr. Jônatas Davi dos Santos.

Reafirmo o respeito às leis de trânsito e ressalto que estava dentro da velocidade permitida, quando fui surpreendido por Jônatas, que estava em uma bicicleta.  Reforço que, logo após o acidente, acionei o socorro e permaneci no local prestando todo o auxílio e informações às autoridades. Em depoimento na 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, me coloquei à disposição para colaborar com as investigações do caso.

Nesse momento de dor e sofrimento para todos os envolvidos, estou buscando forças para auxiliar em tudo o que for necessário a família da vítima. Estamos em contato com a família do Jônatas para dar o suporte necessário e colaborar com possíveis despesas do sepultamento. É um momento de muita tristeza e comoção, mas também é um momento de respeito e amor ao próximo. Vamos passar por isso juntos.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.