JOHN SIBLEY / POOL / AFP
JOHN SIBLEY / POOL / AFP

Rashford dá resposta a ataques racistas: 'Não vou pedir perdão por ser quem sou'

Atacante da seleção inglesa se posiciona após receber graves insultos discriminatórios por pênalti perdido na final da Eurocopa

Redação, Estadão Conteúdo

12 de julho de 2021 | 23h08

Vítima de graves insultos racistas após perder uma das cobranças de pênalti na final da Eurocopa, Marcus Rashford lamentou seu erro na decisão que culminou com o título da Itália, mas não se intimidou com as ofensas. O atacante do Manchester United expressou o que sentiu ao falhar nas penalidades e ver a seleção inglesa sucumbir diante dos italianos e reforçou que jamais teria vergonha de suas origens.

"Eu sou Marcus Rashford, 23 anos, um homem preto de Withington e Wythenshawe, sul de Manchester. Se eu não tiver mais nada, eu tenho isso", enfatizou o jogador, em resposta aos ataques racistas que sofreu nas redes sociais. Um muro com o seu rosto também foi vandalizado em Manchester, mas logo coberto por várias mensagens carinhosas de fãs.

"Posso receber críticas do meu desempenho o dia todo, minha penalidade não foi boa o suficiente, deveria ter entrado, mas nunca vou me desculpar por ser quem eu sou e de onde vim", reiterou o jovem atacante, enaltecendo suas origens.

Rashford expressou seu sentimento em um comunicado de personalidade que compartilhou nas redes sociais. Ele também publicou cartas que recebeu de crianças e fãs e agradeceu à onda de apoio em meio aos xingamentos preconceituosos.

"As mensagens que recebi hoje foram positivamente impressionantes e ver a resposta em Withington (em seu mural) me deixou à beira das lágrimas. As comunidades que sempre envolveram seus braços em volta de mim continuam me segurando", escreveu.

A Inglaterra ficou com o vice da Eurocopa ao perder a decisão nas penalidades. Saka, Sancho e Rashford, que têm em comum a cor da pele e o fato de jogarem no ataque, desperdiçaram as cobranças pela Inglaterra. O atacante do Manchester United reconheceu que estava sem confiança depois de não ter vivido a melhor de suas temporadas.

"Sempre me banquei nos pênaltis, mas algo não parecia certo. Durante a longa caminhada, fui poupando um pouco de tempo e infelizmente o resultado não foi o que eu queria. Eu me senti como se tivesse decepcionado meus companheiros de equipe. Eu me senti como se tivesse decepcionado todo mundo", refletiu. "Eu voltarei mais forte. Voltaremos mais fortes", encerrou o atleta na carta.

Capitão da Inglaterra e um dos líderes da seleção, o atacante Harry Kane também se posicionou nesta segunda sobre os ataques recebidos por Rashford, Sancho e Saka.

"Três rapazes que foram brilhantes durante todo o verão tiveram a coragem de se levantar e assumir o risco quando as apostas eram altas. Eles merecem apoio e não o vil abuso racista que sofreram desde a noite passada. Se você abusar de alguém nas redes sociais, você não é um torcedor da Inglaterra e não queremos você", salientou Kane, em forma de repúdio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.